PARÁBOLAS

VEJA AS PARÁBOLAS DE JESUS

AS 7 PARÁBOLAS DE JESUS EM MARCOS

1 – O Reino que briga entre si …. Expulsar o homem forte (Cf.:3,22-30)

3, 23 Então Ele chamou as pessoas e falou com parábolas: como é que satanás pode expulsar satanás?

 

2 – A parábola do semeador (Cf.: 4,1-20)

4,2 E lhes ensinava  muitas coisas com parábolas. No seu ensinamento dizia para eles: 3  “Ouçam. Um homem saiu para semear….

 

3 – A parábola da semente que cresce sozinha (exclusiva de Marcos) (Cf.: 4, 26-29)

4,26 E continuou dizendo: “O REINO DE DEUS é como um homem que espalha a semente na terra.

 

4 - A parábola da semente de mostarda (Cf.: 4, 30-34)

4,30 E dizia ainda: “Com que coisa podemos comparar o REINO DE DEUS? Que parábola podemos usar?  31  É como uma semente de mostarda,

 

5 – Não o que entra pela boca que torna a pessoa impura mas o que sai de dentro….. (Cf.: 7,14-23)

7,14 Em seguida, chamou de novo a MULTIDÃO   para perto dele e disse:  “Ouçam todos e compreendam: 15  o que vem de fora e entra numa pessoa, não a torna impura; as coisas que saem de dentro da pessoa é que a tornam impura…. 17 Quando entrou em casa, longe da MULTIDÃO, os discípulos lhe perguntaram sobre essa parábola(10/13).

 

6 – Parábola dos vinhateiros assassinos (Cf.: 12,1-12)

12,1 Começou a falar para os chefes-dos-sacerdotes, os doutores da Lei e os anciãos  em parábolas 12,12  Então eles procuraram prendê-lo. Eles tinham entendido muito bem que havia contado essa parábola contra eles. Mas ficaram com medo da MULTIDÃO e, deixando-o foram embora.

 

7 – A parábola da figueira quando os ramos ficam verdes (Cf.: 13, 28-32)

13,28 “Aprendam, portanto, a parábola da figueira: quando seus ramos ficam verdes,  e as folhas começam a brotar…

MARCOS USA 13 VEZES A PALAVRA PARÁBOLA

01. 3,23 Então Ele chamou as pessoas e falou com parábolas: “Como é que Satanás pode expulsar Satanás?

 

02.  4,2  E lhes ensinava muitas coisas com parábolas. No seu ensinamento dizia para eles: 3  “Ouçam. Um homem saiu para semear.

 

03. 4,10 Quando ficou sozinho, os que estavam com ele,  junto com os Doze, perguntaram o que significavam as parábolas).

 

04. 4,11 Disse para eles: “Para vocês, foi dado (confiado) o mistério do REINO DE DEUS; para os que estão fora (Cf:4,34) tudo acontece em parábolas, para que olhando, olhem mas não vejam (percebam),  escutandoescutem, mas não compreendam, para não se mudarem e não sejam perdoados (curados).”

 

05. 4,13 E lhes perguntou:  “Vocês não compreendem essa parábola?

 

06. 4,13 Como então vão compreender  todas as outras parábolas? 14 O semeador semeia a Palavra.

 

07. 4,30 E dizia ainda: “Com que coisa podemos comparar o REINO DE DEUS? Que parábola podemos usar?  31  É como uma semente de mostarda, que é a menor de todas as sementes da terra.

 

08. 4,33 Anunciava a Palavra usando muitas outras  parábolas como essa, conforme eles podiam compreender.

 

09. 4,34 Para eles (Cf: 4,11) só falava com parábolas,(Cf. 3,32; 7,1) mas, quando estava sozinho com os discípulos, ele explicava tudo.

 

10. 7,14 Em seguida, chamou de novo a MULTIDÃO   para perto dele e disse:  “Ouçam todos e compreendam: 15  o que vem de fora e entra numa pessoa, não a torna impura; as coisas que saem de dentro da pessoa é que a tornam impura. 16 Se alguém tem ouvidos para ouvirouça. 17 Quando entrou em casa, longe da MULTIDÃO, os discípulos lhe perguntaram sobre essa parábola.  18  E disse: “Será que nem vocês entendem?  Vocês não compreendem que nada do que vem de fora  e entra numa pessoa pode torná-la impura, 19 porque não entra em seu coração, mas em seu estômago, e vai para a privada?” (Assim Ele declarava que todos os alimentos eram puros).

 

11. 12,1 Começou a falar para eles (chefes dos sacerdotes, doutores da lei e anciãos)  em parábolas: “Um homem plantou uma vinha

 

12. 12,12  Então eles (chefes dos sacerdotes, doutores da lei e anciãos)   procuraram prendê-lo. Eles tinham entendido muito bem que Jesushavia contado essa parábola contra eles. Mas ficaram com medo da MULTIDÃO  e, deixando-o foram embora.

 

13. 13,28 “Aprendam, portanto, a parábola da figueira: quando seus ramos ficam verdes,  e as folhas começam a brotar,    vocês sabem que o verão está perto. 29 Vocês também, quando virem acontecer essas coisas,  fiquem sabendo que ele está perto,  já está às portas.

****************

POR QUE AS PARÁBOLAS DO REINO

Francisco Cornelio

O quarto capítulo do Evangelho segundo Marcos é marcado pela presença de uma série de parábolas sobre o Reino de Deus, que visam responder a uma situação de inquietação e crise vivida pela comunidade dos discípulos, inicialmente, e pela comunidade do próprio evangelista, mais tarde. É importante recordar que o capítulo terceiro, como refletimos no domingo passado (cf. Mc 3,20-35), fora concluído com duas situações de desconforto para Jesus e, consequentemente, para os seus discípulos: a calúnia dos mestres da lei, de que Jesus estava endemoniado (cf. 3,22-30), e a incompreensão dos seus familiares, acusando-o de estar louco, ou seja, fora de si (cf. 3,20.31-35). Sem dúvidas, essas situações repercutiram também na vida dos discípulos, gerando uma crise na comunidade.

A credibilidade de Jesus e de sua mensagem fora posta em dúvidas. Ora, os discípulos primeiros tinham deixado família, trabalho e bens, pensando em algo melhor para suas vidas, inclusive esperando sucesso, fama e poder. Aos poucos, perceberam que estavam seguindo a uma pessoa que a religião oficial condenava (os mestres da lei o acusaram de estar endemoniado) e nem os seus familiares o levavam a sério. Paralelo às desconfianças dos discípulos, também Jesus percebia as contradições e incompreensões neles: eles sonhavam com poder e força, queriam construir um sistema de dominação semelhante às grandes potências da terra, algo que nada tinha a ver com o seu projeto de Reino, ou seja o Reino de Deus.

Algumas décadas mais tarde, também na comunidade de Marcos surgiram problemas semelhantes. A comunidade era perseguida por todos os lados: pela dominação romana e pelo judaísmo oficial, a ponto de parecer diminuir a cada dia, ao invés de crescer, como esperavam que acontecesse; isso causava desânimo, desconfiança e impaciência, com fortes tendências à desistência, pois não se viam resultados nem efeitos imediatos gerados pela pregação e a forma de vida cristã. O evangelista respondeu à crise da sua comunidade recordando a resposta de Jesus, outrora, aos primeiros discípulos: é necessário ter paciência, humildade e confiança na força da Palavra. As parábolas do Evangelho de hoje são a síntese dessa resposta.

Mesmo tendo a multidão como auditório, como afirma o texto, o público alvo das parábolas é o grupo dos discípulos, ainda confusos com os últimos acontecimentos, e a comunidade cristã de todos os tempos. Como o Reino de Deus não pode ser comparado com nenhum sistema de organização social até então experimentado, Jesus o comparava com elementos da natureza, privilegiando a imagem da semente: “O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece” (vv. 26-27). O Reino de Deus (em grego: h` basilei,a tou/ qeou/ – hé basileia tú Theú) proposto por Jesus não é um consolo para o pós-morte, mas um projeto de vida e de sociedade para ser implantado já nesse mundo, com novas relações conduzidas pelo amor, a justiça, a solidariedade e a igualdade, sem nenhum sinal de grandeza ou poder.

Os discípulos ainda cultivavam a ideologia nacionalista, sonhando com a restauração do reino davídico-salomônico, um projeto de poder que visava a dominação de Israel sobre as outras nações e, por isso, tinham muita dificuldade de aceitar a proposta inovadora de Jesus.  

 

 1   Sl   78,  2|    Vou abrir minha boca em parábolas, vou expor enigmas do passado. ~

 

1 Eclo    3, 28|     28 A mente sábia medita a parábola, e o sábio deseja ter ouvido

2 Eclo   39,  2|           e penetra a sutileza das parábolas.

3 Eclo   39,  3|           ocupa com os enigmas das parábolas.

 

2   Ez   17,  2|    faça um enigma e conte uma parábola para a casa de Israel,

3   Ez   24,  3|                   3 Conte uma parábola para essa casa de rebeldes,

 

4   Os   12, 11|           dos profetas, falarei em parábolas.~

 

5   Mt   13,  3|   para eles muita coisa com parábolas: «O semeador saiu para semear.

6   Mt   13, 10| perguntaram a Jesus: «Por que usas parábolas para falar com eles?»

7   Mt   13, 13|   13 É por isso que eu uso parábolas para falar com eles: assim

4   Mt   13, 18|      Ouçam, portanto, o que a parábola do semeador quer dizer:

5   Mt   13, 24|         24 Jesus contou outra parábola à multidão: «O Reino do

6   Mt   13, 31|       31 E Jesus contou outra parábola: «O Reino do Céu é como

7   Mt   13, 33|       contou-lhes ainda outra parábola: «O Reino do Céu é como

8   Mt   13, 34|          Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes

9   Mt   13, 34|          Nada lhes falava sem usar parábolas,

10   Mt   13, 35Abrirei a boca para usar parábolas; vou proclamar coisas escondidas

8   Mt   13, 36|      disseram: «Explica-nos a parábola do joio

11   Mt   13, 53|           terminou de contar essas parábolas, saiu desse lugar,

9   Mt   15, 15|       a Jesus: «Explica-nos a parábola

10   Mt   21, 33|        33 «Escutem essa outra parábola: Certo proprietário plantou

12   Mt   21, 45|   e os fariseus ouviram as parábolas de Jesus, e compreenderam

13   Mt   22,  1|   Jesus voltou a falar em parábolas aos chefes dos sacerdotes

11   Mt   24, 32|     32 «Aprendam, portanto, a parábola da figueira: quando seus

 

14   Mc    3, 23chamou as pessoas e falou com parábolas: «Como é que Satanás pode

15   Mc    4,  2| ensinava-lhes muitas coisas com parábolas. No seu ensinamento dizia

16   Mc    4, 10perguntaram o que significavam as parábolas.

17   Mc    4, 11|        estão fora tudo acontece em parábolas,

12   Mc    4, 13|    Vocês não compreendem essa parábola? Como então vão compreender

18   Mc    4, 13|        compreender todas as outras parábolas?~

13   Mc    4, 30| comparar o Reino de Deus? Que parábola podemos usar?

19   Mc    4, 33|       Palavra usando muitas outras parábolas como essa, conforme eles

20   Mc    4, 34| multidão Jesusfalava com parábolas, mas, quando estava sozinho

14   Mc    7, 17|    lhe perguntaram sobre essa parábola.

21   Mc   12,  1começou a falar para eles em parábolas: «Um homem plantou uma vinha,

15   Mc   12, 12|      Jesus havia contado essa parábola contra eles. Mas ficaram

16   Mc   13, 28|     28 «Aprendam, portanto, a parábola da figueira: quando seus

 

17   Lc    5, 36|   Jesus contou-lhes ainda uma parábola: «Ninguém tira retalho de

18   Lc    6, 39|           39 Jesus contou uma parábola aos discípulos: «Pode um

19   Lc    8,  4Jesus. Então ele contou esta parábola:

20   Lc    8,  9|     Jesus o significado dessa parábola.

22   Lc    8, 10|   outros ele vem por meio de parábolas, para que olhando não vejam,

21   Lc    8, 11|                         11 «A parábola quer dizer o seguinte: a

22   Lc   12, 16|          16 E contou-lhes uma parábola: «A terra de um homem rico

23   Lc   12, 41|   Senhor, estás contando essa parábola só para nós, ou para todos

24   Lc   13,  6|       Então Jesus contou esta parábola: «Certo homem tinha uma

25   Lc   14,  7|       Então contou a eles uma parábola:

26   Lc   15,  3Então Jesus contou-lhes esta parábola:

27   Lc   18,  1|     contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade

28   Lc   18,  9|     outros, Jesus contou esta parábola:

29   Lc   19, 11|   isso, Jesus acrescentou uma parábola, porque estava perto de

30   Lc   20,  9| começou a contar ao povo esta parábola: «Um homem plantou uma vinha,

31   Lc   20, 19|      Jesus havia contado essa parábola contra eles. Mas ficaram

32   Lc   21, 29|         29 E Jesus contou uma parábola: «Olhem a figueira e todas

 

33  Joa   10,  6|      6 Jesus contou-lhes essa parábola, mas eles não entenderam

Leave a Reply