MAR

MAR

Veja mais detalhes sobre O MAR DA GALILEIA

Veja informações sobre o VENTO

** O termo “mar”, além em Marcos,  acorre também em Mateus e em João e em outros livros do Antigo Testamento (Cf. Nm 34,11; Js 13,27) como também no uso árabe e israelense posterior.

** Entre os evangelistas somente Lucas usa sempre o nome ‘LAGO” e não “mar”. (Cf. Lc 5,1; 5,2; 8,22; 8,23; 8,33) (Cf. também José Flávio, Vita 65)   (BATTAGLIA:  p. 28)

** Pode ser que Lucas liga “lago” ao LAGO usado no Apocalipse, principalmente em Lc 8,33 (Os demônios saíram do homem, e entraram nos porcos. E a manada atirou-se monte abaixo para dentro do lago, onde se afogou.) (Cf. Ap 19,20; 20,10; 20,14; 20,14; 20,15; 20,21)

** Para os judeus, o mar – e o lago de Tiberíades ou de Genesaré é considerado, para todos os efeitos, um “mar” – era o lugar onde habitavam os monstros, os demônios e todas as forças que se opunham à vida e à felicidade do homem. Na perspectiva da teologia judaica, no mar o homem estava à mercê das forças demoníacas; e só o poder de Deus podia salvá-lo…

** O sentido do mar para o mundo bíblico: é sinônimo de perigo; evoca morte e domínio do mal. (Francisco Cornélio)

** Entre as forças da natureza, o mar era o ‘grande abismo’, símbolo do caos. (Dom Sebastião Armando Gameleira Soares)

** A simbologia do mar é muito antiga e muito difundida. O mar guarda e esconde os monstros das profundezas. O mar é concomitantemente o símbolo da vida e da morte. Ele acolhe tudo, mas devolve tudo o que não é dele. Entre muitos povos antigos cultivava-se a teoria de que o mar, como propriedade divina tinha o poder de dar e de tirar a vida. Do mar procede uma das bestas do Apocalipse (Ap 13,1ss). O mar vai ser o sinal da separação de inimigo para o povo que saía de Egito (Ex 14,14ss). Quando se faz noite, as ondas são sempre mais fortes e mais imprevisíveis porque não se enxerga mais ao longe. (Izidoro Mazzarolo – Nem aqui, nem em Jerusalém -2001)

 

 

 

MAR DA GALILEIA  (2 vezes)

(qa,lassan th/j Galilai,aj)

 

1.   1,16 Ao passar  pela beira do mar da GALILEIA, (qa,lassan th/j Galilai,aj) viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar, (qala,ssh) pois eram pescadores. 

 

2.   7,31 Saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da GALILEIA (qa,lassan th/j Galilai,aj)  atravessando a região da Decápole.  

————————–

 

A BEIRA DO MAR (6 vezes)

(para. th.n qa,lassan)

 

1)   1,16 Ao passar pela beira do mar (para. th.n qa,lassan) da Galileia,  viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar, pois eram pescadores.

2)   2,13 Ele saiu de novo para a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Toda a multidão ia ao seu encontro. E os ensinava. 

3)   3,7 JESUS se retirou para a beira do mar, (pro.j th.n qa,lassan) junto com seus discípulos. Grande multidão da Galileia o seguia.  8 E também da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do (rio) Jordão, dos territórios de Tiro e da Sidônia, uma grande multidão foi até Ele, porque tinha ouvido falar de tudo o que ele fazia.

4)   4,1 Ele começou a ensinar de novo  a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Uma multidão se reuniu em volta dele, a tal ponto que Ele  entrou na barca e sentou no mar (kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|),

5)   4,1 enquanto a multidão estava a beira mar (pro.j th.n qa,lassan), quer dizer na terra.

6)   5,21 JESUS atravessou de barca de novo  para o outro lado (do mar). Uma numerosa MULTIDÃO se reuniu junto dele, e (Ele) ficou a beira mar (para. th.n qa,lassan). 22 Aproximou-se um dos chefes da sinagoga, chamado  Jairo.

—————————-

JOGADO NO MAR (2 vezes)

(be,blhtai eivj th.n qa,lassan)

 1.   9,42 E se alguém escandalizar   um destes pequeninos que creêm, seria melhor que ele fosse jogado no mar (be,blhtai eivj th.n qa,lassan)  com uma pedra de moinho amarrada no pescoço.

2.   11,23 Em verdade digo a vocês: se alguém disser a esta montanha: ‘Levante-se e jogue-se no mar (blh,qhti eivj th.n qa,lassan), e não duvidar no seu coração, mas crer no que disse, assim acontecerá’.

 ——————–

JOGAR A REDE AO MAR

(avmfiba,llontaj evn th/| qala,ssh|)

 1,16 Ao passar pela beira do mar da Galileia,  viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar (qala,ssh), pois eram pescadores.

  

JESUS SENTAR NO MAR

(kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|)

 4,1 Ele começou a ensinar de novo  a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Uma multidão se reuniu em volta dele, a tal ponto que Ele  entrou na barca e sentou no mar (kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|),  enquanto a multidão estava a beira mar (pro.j th.n qa,lassan), quer dizer na terra.

JESUS DOMINA OS PERIGOS DO MAR

 1.   4, 39 Então se levantou e repreendeu o vento  e disse ao mar (qala,ssh|):  “Cale-se! Acalme-se!”  O vento parou e tudo ficou calmo. 40 Então lhes perguntou: “Por que vocês são tão medrosos? Vocês ainda não têm  fé?”

 2.   4,41 Eles ficaram tomados de muito medo e diziam uns aos outros: “Quem é esse homem,  a quem até o vento e o mar (qa,lassa) obedecem?

 3.   6,47 Ao anoitecer, a barca estava no meio do mar (qala,sshj)  e Ele sozinho em terra.

 4.   6,48 Jesus viu que eles estavam cansados de remar,  porque o vento era contrário. Então, por volta da quarta vigília da noite. Ele foi até eles andando sobre o mar, (peripatw/n evpi. th/j qala,sshj) e queria passar na frente deles.

 5.   6,49 Quando o avistaram andando sobre o mar (evpi. th/j qala,sshj peripatou/nta)  pensaram que era um fantasma e começaram a gritar. 50 Com efeito, todos o tinham visto e ficaram assustados. Mas Ele logo falou: “Coragem! Eu Sou  não tenham medo!” 51 Então subiu com eles na barca. E o vento parou. Mas eles ficaram ainda mais espantados, 52 porque não tinham compreendido o acontecimento dos pães. O coração deles estava endurecido. 

 

5,1 Chegaram à outra margem do mar (qala,sshj),  na região dos gerasenos.

5,13 Ele deixou. Os espíritos impuros  saíram do homem e entraram nos porcos. E a manada – mais ou menos uns dois mil porcos –  atirou-se monte abaixo para dentro do mar (qa,lassan), onde se afogou no mar (qala,ssh).

1   Gn    1, 10|           e ao conjunto das águas «mar». E Deus viu que era bom.
  2   Gn    1, 22|            se e encham as águas do mar; e que as aves se multipliquem
  3   Gn    1, 26|            ele domine os peixes do mar, as aves do céu, os animais
  4   Gn    1, 28|        terra; dominem os peixes do mar, as aves do céu e todos
  5   Gn    9,  2|     répteis do solo e os peixes do mar estão no poder de vocês.
  6   Gn   14,  3|          no vale de Sidim, que é o mar Morto.
  7   Gn   32, 13|           numerosa como a areia do mar, que não se pode contar’ «.~
  8   Gn   41, 49|      armazenou trigo como areia do mar: a quantidade era tal que
  9   Gn   49, 13|          13 Zabulon reside à beira-mar: é um porto para os barcos,
 10   Ex   10, 19|          gafanhotos e os lançou no mar Vermelho: não ficou um só
 11   Ex   13, 18|           volta pelo deserto até o mar Vermelho. Os filhos de Israel
 12   Ex   14,  2|          Piairot, entre Magdol e o mar, diante de Baal Sefon; aí
 13   Ex   14,  2|          vocês acamparão, junto ao mar.
 14   Ex   14,  9|         estavam acampados junto ao mar, em Piairot, diante de Baal
 15   Ex   14, 16|        vara, estenda a mão sobre o mar e divida-o pelo meio para
 16   Ex   14, 21|      Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Javé fez o mar se retirar
 17   Ex   14, 21|          sobre o mar, e Javé fez o mar se retirar com um forte
 18   Ex   14, 21|          soprou a noite inteira: o mar ficou seco e as águas se
 19   Ex   14, 22|            de Israel entraram pelo mar a  enxuto, e as águas
 20   Ex   14, 23|  cavaleiros, e foram até o meio do mar.
 21   Ex   14, 26|              Estenda a mão sobre o mar, e as águas se voltarão
 22   Ex   14, 27|      Moisés estendeu a mão sobre o mar. E, de manhã, este voltou
 23   Ex   14, 27|        fugir, foram ao encontro do mar, e Javé atirou-os no meio
 24   Ex   14, 27|          Javé atirou-os no meio do mar.
 25   Ex   14, 28|           que os haviam seguido no mar: nem um só deles escapou.
 26   Ex   14, 29|       porém, passaram pelo meio do mar a  enxuto, enquanto as
 27   Ex   14, 30|     cadáveres dos egípcios à beira-mar.
 28   Ex   15,  1|            sublime: ~ele atirou no mar carros e cavalos.~
 29   Ex   15,  4|                    4 Ele atirou no mar os carros e a tropa do Faraó,~
 30   Ex   15,  4|          tropa do Faraó,~afogou no mar Vermelho a elite das tropas: ~
 31   Ex   15,  8|       vagas se congelam no meio do mar.~
 32   Ex   15, 10|           10 Teu vento soprou, e o mar os cobriu: ~caíram como
 33   Ex   15, 19|       cavalaria do Faraó entrou no mar com seus carros e cavaleiros,
 34   Ex   15, 19|      voltar sobre eles as águas do mar, enquanto os filhos de Israel
 35   Ex   15, 19|           a  enxuto pelo meio do mar.
 36   Ex   15, 21|           é sublime:~ele atirou no mar carros e cavalos».~Água
 37   Ex   15, 22|        Moisés fez Israel partir do mar Vermelho, e eles se dirigiram
 38   Ex   20, 11|         Javé fez o céu, a terra, o mar e tudo o que existe neles;
 39   Ex   23, 31|    fronteiras do seu país, desde o mar Vermelho até o mar dos filisteus,
 40   Ex   23, 31|         desde o mar Vermelho até o mar dos filisteus, e desde o
 41   Ex   26, 22|           do santuário, do lado do mar,
 42   Ex   26, 27|          lado do fundo, no lado do mar.
 43   Ex   27, 12|       largura do átrio, no lado do mar, coloque cortinas com vinte
 44   Ex   36, 32|          lado do fundo, no lado do mar.
 45   Ex   38, 12|                      12 No lado do mar, com dez colunas e dez bases
 46   Nm   11, 22|     reuníssemos todos os peixes do mar, nem assim lhes bastariam».
 47   Nm   11, 31|                31 Javé levantou do mar um vento que arrastou bandos
 48   Nm   13, 29|            cananeus moram junto do mar e às margens do Jordão».~
 49   Nm   14, 25|        deserto, seguindo a rota do mar Vermelho».~
 50   Nm   21,  4|           tomaram o caminho para o mar Vermelho, contornando o
 51   Nm   33,  8|           Piairot e atravessaram o mar, alcançando o deserto. Depois
 52   Nm   33, 10|          Elim e acamparam junto ao mar Vermelho.
 53   Nm   33, 11|                     11 Partiram do mar Vermelho e acamparam no
 54   Nm   34,  3|         começará na extremidade do mar Morto, a oriente.
 55   Nm   34,  5|            do Egito e terminará no mar.~
 56   Nm   34,  6|          fronteira marítima será o mar Mediterrâneo. Será o limite
 57   Nm   34,  7|         norte será marcada desde o mar Mediterrâneo até o monte
 58   Nm   34, 11|          ainda, costeará a leste o mar de Quineret.
 59   Nm   34, 12|          rio Jordão e terminará no mar Morto.~Essa é a terra de
 60   Dt    1, 40|           o deserto, em direção ao mar Vermelho». ~
 61   Dt    2,  1|        para o deserto a caminho do mar Vermelho, como Javé me havia
 62   Dt    3, 17|   fronteira, desde Quineret até ao mar da Arabá, o mar Morto, nas
 63   Dt    3, 17|    Quineret até ao mar da Arabá, o mar Morto, nas encostas orientais
 64   Dt    4, 49|         oriental do Jordão, até ao mar da Arabá, ao  das encostas
 65   Dt   11,  4|            carros: fez as águas do mar Vermelho caírem por cima
 66   Dt   11, 24|         desde o rio Eufrates até o mar ocidental.
 67   Dt   30, 13|            Também não está no além-mar, para que você fique perguntando: ‘
 68   Dt   30, 13|         Quem atravessará por nós o mar, para trazer esse mandamento
 69   Dt   33, 19|            exploram as riquezas do mar~e os tesouros escondidos
 70   Dt   33, 23|            Javé:~ele toma posse do mar e do sul.~
 71   Dt   34,  2|         toda a terra de Judá até o mar Mediterrâneo,
 72   Js    1,  4|          grande rio Eufrates até o mar Mediterrâneo, no ocidente.
 73   Js    2, 10|          como Javé secou a água do mar Vermelho diante de vocês,
 74   Js    3, 16|             e a água que descia ao mar da Arabá, o mar Morto, escoou
 75   Js    3, 16|          descia ao mar da Arabá, o mar Morto, escoou totalmente,
 76   Js    4, 23|            Javé seu Deus fez com o mar Vermelho, que ele secou
 77   Js    5,  1|    cananeus que habitavam junto ao mar, souberam que Javé tinha
 78   Js    9,  1|      planície e de toda a costa do mar Mediterrâneo, até o Líbano,
 79   Js   11,  2|         planaltos de Dor, junto ao mar;
 80   Js   12,  3|              3 desde a Arabá até o mar de Genesaré para o oriente,
 81   Js   12,  3|           para o oriente, e até ao mar de Arabá, o mar Morto, para
 82   Js   12,  3|           e até ao mar de Arabá, o mar Morto, para o oriente, no
 83   Js   13, 27|   imediações, até à extremidade do mar de Genesaré, na Transjordânia,
 84   Js   15,  2|          fronteira sul vai desde o mar Morto, desde a língua de
 85   Js   15,  4|            do Egito, terminando no mar. «Esta será a fronteira
 86   Js   15,  5|     fronteira no lado oriental é o mar Morto até à foz do Jordão.
 87   Js   15,  5|    fronteira vai desde a língua de mar que  na foz do Jordão,
 88   Js   15, 11|          de Jebneel, terminando no mar.
 89   Js   15, 12|          limite oeste era o Grande Mar e imediações. Esse é, de
 90   Js   15, 46|           46 e desde Acaron até ao mar, todas as que estão no lado
 91   Js   15, 47|            rio do Egito e o Grande Mar com suas imediações.
 92   Js   16,  3|           até Gazer, terminando no mar.
 93   Js   16,  6|        fronteira vai em direção ao mar com Macmetat ao norte, de
 94   Js   16,  8|      riacho de Caná, terminando no mar. Essa é a herança da tribo
 95   Js   17,  9|           do riacho, terminando no mar.
 96   Js   17, 10|           Manassés ao norte, era o mar. Estavam em contato com
 97   Js   18, 19|         para terminar na laguna do mar Morto ao norte, na extremidade
 98   Js   19, 29|        então a Hosa, terminando no mar, na região de Aczib.
 99   Js   23,  4|            rio Jordão até o grande Mar, no ocidente.
100   Js   24,  6|    antepassados que chegaram até o mar. Os egípcios perseguiram
101   Js   24,  6|         carros e cavaleiros, até o mar Vermelho.
102   Js   24,  7|       vocês e os egípcios; e fez o mar voltar-se contra eles, afogando-
103   Jz    5, 17|         Aser permaneceu na orla do mar,~e ficou junto às suas enseadas.~
104   Jz   11, 16|        caminhou pelo deserto até o mar Vermelho, e chegou a Cades.
105  2Sm   22, 16|          Então apareceu o leito do mar,~as bases do mundo se descobriram,~
106  1Rs    5,  9|           aberta como as praias do mar.
107  1Rs    5, 23|            madeira do Líbano até o mar, e ela seguirá para o lugar
108  1Rs    7, 23|               23 Hiram fez ainda o Mar, todo de metal fundido,
109  1Rs    7, 24|        fundidas numapeça com o Mar.
110  1Rs    7, 25|         sul e três para o leste. O Mar se apoiava sobre esses touros,
111  1Rs    7, 26|                  26 A espessura do Mar era de oito centímetros,
112  1Rs    7, 39|          cinco do lado esquerdo. O Mar foi colocado do lado direito
113  1Rs    7, 44|                               44 o Mar, com os doze touros;
114  1Rs    9, 26|       perto de Elat, às margens do mar Vermelho, no país de Edom.
115  1Rs    9, 27|   marinheiros, que conheciam bem o mar, para os navios junto com
116  1Rs   10, 22|            De fato, o rei tinha no mar uma frota de grandes navios,
117  1Rs   18, 43|         Suba e olhe para o lado do mar». O servo subiu, olhou e
118  1Rs   18, 44|         uma pessoa, vem subindo do mar». Então Elias mandou: «
119  2Rs   14, 25|            a entrada de Emat até o mar da Arabá, conforme a palavra
120  2Rs   16, 17|            bases. Mandou retirar o Mar de bronze que ficava sobre
121  2Rs   25, 13|            as bases entalhadas e o Mar de bronze que estavam no
122  2Rs   25, 16|         Quanto às duas colunas, ao Mar e às bases entalhadas, que
123  1Cr   16, 32|                      32 Estronde o mar, e o que ele contém!~Que
124  1Cr   18,  8|         que Salomão mandou fazer o Mar de bronze, as colunas e
125  2Cr    2, 15|       vamos mandá-la embarcada por mar até Jope. Depois você a
126  2Cr    4,  2|                     2 Fez também o Mar de metal fundido, redondo,
127  2Cr    4,  4|                                4 O Mar se apoiava sobre doze touros,
128  2Cr    4,  4|            três para o nascente. O Mar ficava em cima deles, e
129  2Cr    4,  5|                    5 As paredes do Mar tinham a espessura de um
130  2Cr    4,  5|          uma flor. A capacidade do Mar era de cento e trinta e
131  2Cr    4,  6|           sacerdotes se lavavam no Mar.
132  2Cr    4, 10|                       10 Colocou o Mar do lado direito, ao sudeste.~
133  2Cr    4, 15|                               15 o Mar único com os dois touros
134  2Cr    8, 17|            e Elat, lugares à beira-mar, no país de Edom.
135  2Cr   20,  2|          multidão do outro lado do mar, do país de Edom, está vindo
136   Ne    9,  9|            o clamor deles junto ao mar Vermelho.~
137   Ne    9, 11|                       11 Abriste o mar diante deles,~e atravessaram
138   Ne    9, 11|            deles,~e atravessaram o mar a  enxuto.~Jogaste no
139   Jt    2, 24|       riacho Abrona, até chegar ao mar.
140   Jt    5, 13|          Deus secou diante deles o mar Vermelho
141  1Mc    4,  9|       antepassados foram salvos no mar Vermelho, quando o Faraó
142  1Mc    6, 29|          reinos e até das ilhas do mar.
143  1Mc    8, 23|           e aos judeus, em terra e mar, para sempre. Longe deles
144  1Mc    8, 32|          atacando você por terra e mar’ «.~
145  1Mc   11,  8|       chegar a Selêucida, junto ao mar. Eram maus os seus planos
146  1Mc   13, 29|        quem estivesse navegando no mar.
147  1Mc   14,  5|           caminho para as ilhas do mar.
148  1Mc   15,  1|     Demétrio, enviou, das ilhas do mar, uma carta a Simão, sumo
149  1Mc   15, 11|          para Dora, cidade à beira-mar,
150  1Mc   15, 14|       navios a atacavam do lado do mar. Rodeou a cidade por terra
151  1Mc   15, 14|        Rodeou a cidade por terra e mar, e não deixou ninguém entrar
152  2Mc    5, 21|       firme e andar a  dentro do mar.
153  2Mc    9,  8|            ordens para as ondas do mar, e que se imaginava pesando
154  2Mc   12,  4|             o barco chegou em alto mar, aqueles o afundaram. E
155   Jo    6,  3|        mais pesadas que a areia do mar! Por isso, as minhas palavras
156   Jo    7, 12|                 12 Por acaso sou o Mar ou o Dragão, para me colocares
157   Jo    9,  8|          caminha sobre as ondas do mar.
158   Jo   11,  9|           terra e mais larga que o mar.
159   Jo   12,  8|         darão lições. Os peixes do mar lhe contarão tudo isso.
160   Jo   14, 11|                     11 As águas do mar podem acabar, os rios podem
161   Jo   26,  5|       mortos estremecem debaixo do mar e seus habitantes.
162   Jo   26, 10|      círculo sobre a superfície do mar, onde a luz faz fronteira
163   Jo   26, 12|           seu poder, ele acalmou o mar e, com sua destreza, domou
164   Jo   28, 14|          Ela não está em mim». E o mar responde: «Ela não está
165   Jo   38,  8|                    8 Quem fechou o mar com uma porta, quando ele
166   Jo   38, 16|            chegou até as fontes do mar, ou passeou pelas profundezas
167   Jo   41, 23|          Ele faz ferver o fundo do mar como caldeira, e a água
168   Sl   18, 16|                     16  O leito do mar apareceu, as bases do mundo
169   Sl   33,  7|      represa num dique as águas do mar, coloca os oceanos em reservatórios. ~
170   Sl   46,  3|     montanhas se abalam no seio do mar; ~
171   Sl   46,  4|                  4  se as águas do mar estrondam e fervem, e por
172   Sl   65,  8|              Acalmas o estrondo do mar, o ribombar de suas ondas,
173   Sl   66,  6|               6  ele transformou o mar em terra firme, e atravessaram
174   Sl   68, 23|           farei voltar do fundo do mar. ~
175   Sl   69, 35|          céu e a terra o louvem, o mar e tudo o que nele se move! ~
176   Sl   72,  8|               8  Que ele domine de mar a mar, do Grande Rio até
177   Sl   72,  8|            Que ele domine de mar a mar, do Grande Rio até os confins
178   Sl   73, 10|         para si as águas de todo o mar. ~
179   Sl   74, 13|                 13  Tu dividiste o mar com teu poder, quebraste
180   Sl   74, 13|   quebraste a cabeça do monstro do mar. ~
181   Sl   74, 14|          como alimento às feras do mar. ~
182   Sl   77, 17|                              17  O mar te viu, ó Deus, o mar te
183   Sl   77, 17|            O mar te viu, ó Deus, o mar te viu e tremeu, e as ondas
184   Sl   78, 13|                  13  ele dividiu o mar e os fez atravessar, barrando
185   Sl   78, 27|            numerosas como areia do mar, ~
186   Sl   78, 53|             sem alarme, enquanto o mar cobria seus inimigos. ~
187   Sl   80, 12|           estendia os galhos até o mar, e até o rio os seus rebentos. ~
188   Sl   89, 10|            Tu dominas o orgulho do mar e amansas as ondas que se
189   Sl   89, 26|      estenderei sua esquerda até o mar, e sua direita até os rios. ~
190   Sl   93,  4|         imponente que a ressaca do mar, é imponente Javé nas alturas. ~
191   Sl   95,  5|                        5  Dele é o mar, pois foi ele quem o fez,
192   Sl   96, 11|           terra exulte, estronde o mar, e tudo o que ele contém. ~
193   Sl   98,  7|                     7*  Estronde o mar e o que ele contém, o mundo
194   Sl  104, 25|                    25  Eis o vasto mar, com braços imensos, onde
195   Sl  106,  7|       contra o Altíssimo, junto ao mar Vermelho. ~
196   Sl  106,  9|                       9  Ameaçou o mar Vermelho, e ele secou, guiou-
197   Sl  106, 22|          coisas terríveis junto ao mar Vermelho. ~
198   Sl  107, 23|              Desciam de navio pelo mar, comerciando na imensidão
199   Sl  107, 24|            suas maravilhas em alto-mar. ~
200   Sl  107, 25|             que elevou as ondas do mar. ~
201   Sl  114,  3|                   3*  Ao -los, o mar fugiu, o Jordão voltou atrás. ~
202   Sl  114,  5|                                 5  Mar, o que você tem para fugir
203   Sl  136, 13|                  13  Ele dividiu o mar Vermelho em duas partes,
204   Sl  139,  9|          emigro para os confins do mar, ~
205   Sl  146,  6|        quem fez o céu e a terra, o mar e tudo o que nele existe. ~
206   Pr    8, 29|      quando punha um limite para o mar, de modo que as águas não
207   Pr   23, 34|          quem está deitado em alto mar ou sentado no topo de um
208   Pr   30,  4|            na mão? Quem recolheu o mar na túnica? Quem fixou os
209   Pr   30, 19|           caminho do navio em alto mar e o caminho do homem com
210  Ecl    1,  7|        Todos os rios correm para o mar, e o mar nunca transborda;
211  Ecl    1,  7|        rios correm para o mar, e o mar nunca transborda; embora
212   Sb    5, 22|       furiosa saraivada, a água do mar se enfurecerá contra eles,
213   Sb   10, 18|            Ela os fez atravessar o mar Vermelho e os guiou através
214   Sb   10, 19|      vomitou-os das profundezas do mar.
215   Sb   14,  1|            1 Outro, lançando-se ao mar para navegar sobre ondas
216   Sb   14,  3|           o pilota, pois também no mar abriste um caminho, uma
217   Sb   19,  7|             onde antes era água. O mar Vermelho se transformou
218   Sb   19, 12|          12 Para satisfazê-los, do mar subiram codornizes. ~A traição
219 Eclo   18,  9|                     9 Como gota no mar e grão na areia, tais são
220 Eclo   24,  6|            poder sobre as ondas do mar, sobre a terra inteira e
221 Eclo   24, 27|   pensamento dela é maior do que o mar, e o seu conselho é maior
222 Eclo   24, 29|          meu rio se transformou em mar.
223 Eclo   29, 17|            os agitou como ondas do mar.
224 Eclo   40, 10|           vem da água volta para o mar.~A justiça triunfará -*
225 Eclo   43, 24|      navegantes falam do perigo do mar, e nós ficamos espantados
226 Eclo   44, 21|          país que se estende de um mar a outro, desde o rio Eufrates
227 Eclo   50,  3|            um tanque grande como o mar.
228   Is    5, 30|        como o barulho das ondas do mar. Olhe para a terra: tudo
229   Is    8, 23|      tornará glorioso o caminho do mar, o Além-Jordão e o território
230   Is   10, 22|           numeroso como a areia do mar, a verdade é que de todo
231   Is   10, 26|         ergueu a sua vara contra o mar no caminho do Egito.~
232   Is   11,  9|             como as águas enchem o mar.~A restauração de um povo -*
233   Is   11, 11|             em Emat e nas ilhas do mar.
234   Is   11, 14|         dos filisteus pelo lado do mar, e juntos saquearão do outro
235   Is   11, 15|         Javé fará secar o golfo do mar do Egito, e com a força
236   Is   16,  8|         livremente, chegando até o mar.
237   Is   17, 12|          qual barulho das ondas do mar, o alarido das nações ecoa
238   Is   18,  2|            manda embaixadores pelo mar, em barcos de papiro sobre
239   Is   19,  5|                      5 As águas do mar secarão, o rio ficará sem
240   Is   21,  1|        Oráculo contra o deserto do mar.~Como os furacões que percorrem
241   Is   23,  2|      representantes atravessavam o mar,
242   Is   23,  4|       encha-se de vergonha, pois o mar está dizendo: «Não tive
243   Is   23, 11|        Javé estendeu a mão sobre o mar e fez tremer os reinos.
244   Is   24, 14|          Javé. E gritam do lado do mar:
245   Is   24, 15|           do Oriente, das ilhas do mar, celebrem o nome de Javé,
246   Is   27,  1|     tortuosa, e matará o dragão do mar.~Deus protege o seu povo -*
247   Is   40, 12|          Quem mediu toda a água do mar na concha da mão? Quem mediu
248   Is   42, 10|            terra; que o celebrem o mar e tudo o que nele existe,
249   Is   43, 16|            que abriu um caminho no mar, uma passagem entre as ondas
250   Is   48, 18|          sua justiça como ondas do mar;
251   Is   50,  2|           simples ameaça eu seco o mar e transformo os rios em
252   Is   51, 10|         Não foste tu que secaste o mar, as águas do grande abismo,
253   Is   51, 10|           um caminho pelo fundo do mar para que os redimidos pudessem
254   Is   51, 15|         Javé seu Deus, que agito o mar e suas ondas estrondam.
255   Is   57, 20|          Os ímpios, porém, parecem mar agitado que nunca pode acalmar-
256   Is   60,  5|           você os tesouros de além-mar, estarão chegando a você
257   Is   66, 19|           distantes terras de além-mar, que nunca ouviram falar
258   Jr    2, 10|                    10 Atravessem o mar até as ilhas de Cetim, e
259   Jr    5, 22|         fez a areia como limite do mar, uma fronteira eterna que
260   Jr    6, 23|        fazem parece o das ondas do mar; vêm todos montados a cavalo,
261   Jr   15,  8|           numerosas que a areia do mar. Em pleno meio-dia, mandei
262   Jr   25, 22|           da ilha que está no além-mar;
263   Jr   27, 19|           respeito das colunas, do mar de bronze e dos pedestais,
264   Jr   31, 35|          noite, aquele que agita o mar e as ondas rugem, aquele
265   Jr   46, 18|            o monte Carmelo à beira mar.
266   Jr   48, 32|           Os seus ramos atingiam o mar e chegavam até Jazer. O
267   Jr   49, 21|        grito de dor será ouvido no mar Vermelho.
268   Jr   49, 23|           agitam de aflição como o mar, e não podem acalmar-se.
269   Jr   50, 42|         Seus gritos ressoam como o mar, avançam a cavalo, formados
270   Jr   51, 36|            sua vingança. Secarei o mar da Babilônia e esgotarei
271   Jr   51, 42|                    42 Parece que o mar subiu até Babilônia, e ela
272   Jr   52, 20|          duas colunas de bronze, o mar de bronze com os doze bois
273   Lm    2, 13|      derrota é tão grande quanto o mar: quem vai curá-la?~
274   Br    3, 30|              30  Quem atravessou o mar para encontrá-la,~e comprá-
275   Ez   26,  3|          muitas nações, como faz o mar que levanta suas ondas.
276   Ez   26,  5|      secadouro de redes no meio do mar, porque eu falei - oráculo
277   Ez   26, 12|      palácios e jogarão no meio do mar suas pedras, madeiras e
278   Ez   26, 16|           16 Todos os príncipes do mar descerão de seus tronos,
279   Ez   26, 18|          ilhas tremem, as ilhas do mar se apavoram com o fim que
280   Ez   27,  3|           que está situada à beira-mar e que faz comércio com povos
281   Ez   27,  4|                     4 O coração do mar era o seu território e seus
282   Ez   27,  9|      estragos. ~Todos os navios do mar e seus marinheiros faziam
283   Ez   27, 25|         rica e gloriosa no meio do mar.
284   Ez   27, 26|            quebrou você no meio do mar,
285   Ez   27, 27|         bordo afundarão no meio do mar, no dia do seu naufrágio.
286   Ez   27, 32|         Tiro, fortaleza no meio do mar?’
287   Ez   27, 33|       Trazendo mercadorias de além-mar, você abastecia muitos povos.
288   Ez   27, 34|        está despedaçada no meio do mar, dentro das águas profundas;
289   Ez   28,  2|          divino, bem no coração do mar’. Mas você é apenas homem
290   Ez   28,  8|        violenta, bem no coração do mar.
291   Ez   38, 20|            vão tremer os peixes do mar, as aves do céu, as feras
292   Ez   39, 11|           Transeuntes, ao leste do mar, o vale que barra os passantes.
293   Ez   47,  8|            para a Arabá e entra no mar. Ao entrar no mar, a sua
294   Ez   47,  8|         entra no mar. Ao entrar no mar, a sua água se torna potável.
295   Ez   47, 10|       mesmas espécies de peixes do mar Mediterrâneo.
296   Ez   47, 15|             Do lado norte, desde o mar Mediterrâneo: o caminho
297   Ez   47, 17|            Os limites irão desde o mar até Haser-Enã, tendo ao
298   Ez   47, 18|         servirá de fronteira até o mar oriental e até Tamar. Tal
299   Ez   47, 19|          seguindo a torrente até o mar Mediterrâneo. Será essa
300   Ez   47, 20|        frente à entrada de Emat, o mar Mediterrâneo servirá de
301   Ez   48, 28|          seguindo a torrente até o mar Mediterrâneo.
302   Dn    3, 36|           areia que existe à beira-mar.~
303   Dn    7,  2|          quatro ventos reviravam o mar imenso.
304   Dn    7,  3|          feras surgiram do meio do mar, cada uma diferente da outra.
305   Dn   11, 45|           nobre residência entre o mar e a deliciosa montanha santa.
306   Os    2,  1|          como os grãos de areia do mar, grãos que ninguém pode
307   Os    4,  3|        aves do céu e até peixes do mar estão desaparecendo.~Os
308   Jl    2, 20|        deserto: a vanguarda para o mar do Oriente e a retaguarda
309   Jl    2, 20|      Oriente e a retaguarda para o mar do Ocidente. Aí, ele vai
310   Am    5,  8|            Ele convoca as águas do mar~para inundar a face da terra.~
311   Am    6, 12|         cavalos correr? No meio do mar, os bois podem arar? No
312   Am    8, 12|          12 Irão cambaleando de um mar a outro, irão sem rumo do
313   Am    9,  3|            mergulharem no fundo do mar, lá mandarei o dragão para
314   Am    9,  6|           é quem chama as águas do mar~para inundar a face da terra.~
315   Jn    1,  4|        Javé, porém, mandou sobre o mar um vento forte, que provocou
316   Jn    1,  5|           próprio deus. Jogaram no mar a carga que estava no navio,
317   Jn    1,  9|             Deus do céu, que fez o mar e a terra».~
318   Jn    1, 11|         fazer com você, para que o mar se acalmePois o mar estava
319   Jn    1, 11|           o mar se acalmePois o mar estava cada vez mais bravo.
320   Jn    1, 12|           pegarem e me atirarem ao mar, que ele se acalmará em
321   Jn    1, 13|         mas não conseguiam, pois o mar ia ficando cada vez mais
322   Jn    1, 15|       Pegaram Jonas e o jogaram ao mar. Imediatamente o mar acalmou
323   Jn    1, 15|            ao mar. Imediatamente o mar acalmou a sua fúria.
324   Jn    2,  4|         profundezas,~no coração do mar,~e a torrente me envolveu.~
325   Mq    7, 12|            Nilo até o Eufrates, de mar a mar, de monte a monte.
326   Mq    7, 12|           até o Eufrates, de mar a mar, de monte a monte.
327   Mq    7, 19|        faltas e jogará no fundo do mar todos os nossos pecados.~
328   Na    1,  4|                        4  Ameaça o mar, e o mar seca;~ele enxuga
329   Na    1,  4|               4  Ameaça o mar, e o mar seca;~ele enxuga todos os
330   Na    3,  8|            A trincheira dela era o mar, e a muralha dela era de
331  Hab    1, 14|           os homens como peixes do mar ou como répteis que não
332  Hab    2, 14|         tal como as águas enchem o mar.~Quem humilha será humilhado -*
333  Hab    3,  8|         ira se inflama?~É contra o mar que arde o teu furor,~quando
334  Hab    3, 10|         uma tromba dágua passa.~O mar profundo estronda,~levantando
335  Hab    3, 15|                        15  Pisas o mar com teus cavalos,~fazendo
336   Sf    1,  3|         aves do céu e os peixes do mar; destruirei os ímpios. Eliminarei
337   Sf    2,  5|          Ai dos moradores da beira-mar, a nação dos cereteus! É
338   Ag    2,  6|    balançando os céus e a terra, o mar e a terra firme.
339   Zc    9,  4|      tomará a cidade, sepultará no mar a sua riqueza, e a cidade
340   Zc    9, 10|             e o seu domínio irá de mar a mar, do rio Eufrates até
341   Zc    9, 10|           seu domínio irá de mar a mar, do rio Eufrates até os
342   Zc   10, 11|              11 Eles passarão pelo mar estreito (Javé ferirá as
343   Zc   10, 11|            Javé ferirá as ondas do mar), e o leito do rio Nilo
344   Zc   14,  8|   Jerusalém. Metade correrá para o mar do lado nascente e metade
345   Zc   14,  8|           nascente e metade para o mar do lado poente, tanto no
346   Mt    4, 13|             que fica às margens do mar da Galiléia, nos confins
347   Mt    4, 15|       terra de Neftali, caminho do mar, região do outro lado do
348   Mt    4, 18|            Jesus andava à beira do mar da Galiléia, quando viu
349   Mt    4, 18|          Estavam jogando a rede no mar, pois eram pescadores.
350   Mt    8, 24|           houve grande agitação no mar, de modo que a barca estava
351   Mt    8, 26|          se, ameaçou os ventos e o mar, e tudo ficou calmo.
352   Mt    8, 27|             a quem até o vento e o mar obedecem?»~Jesus desaliena
353   Mt    8, 32|        monte abaixo para dentro do mar e morreu afogada.~
354   Mt   13,  1|            sentar-se às margens do mar da Galiléia.
355   Mt   13, 47|           como uma rede lançada ao mar. Ela apanha peixes de todo
356   Mt   14, 22|       frente, para o outro lado do mar, enquanto ele despedia as
357   Mt   14, 25|        discípulos, andando sobre o mar.
358   Mt   14, 26|         avistaram, andando sobre o mar, ficaram apavorados, e disseram: «
359   Mt   15, 29|         Jesus foi para a margem do mar da Galiléia, subiu a montanha,
360   Mt   16,  5|  atravessaram para o outro lado do mar, os discípulos se esqueceram
361   Mt   17, 27|          provocar escândalo,  ao mar, e jogue o anzol. Na boca
362   Mt   18,  6|           e ser jogado no fundo do mar.
363   Mt   21, 21|          Levante-se, e jogue-se no mar’, e isso acontecerá.
364   Mt   23, 15|      hipócritas! Vocês percorrem o mar e a terra para converter
365   Mc    1, 16|            Ao passar pela beira do mar da Galiléia, Jesus viu Simão
366   Mc    1, 16|          estavam jogando a rede ao mar, pois eram pescadores.
367   Mc    2, 13|            de novo para a beira do mar. Toda a multidão ia ao seu
368   Mc    3,  7|            retirou para a beira do mar, junto com seus discípulos.
369   Mc    4,  1|      ensinar de novo às margens do mar da Galiléia. Uma multidão
370   Mc    4,  1|       sentou-se. A barca estava no mar, enquanto a multidão estava
371   Mc    4,  1|           multidão estava junto ao mar, na praia.
372   Mc    4, 35|         Vamos para o outro lado do mar.»
373   Mc    4, 39|         ameaçou o vento e disse ao mar: «Cale-se! Acalme-se!» O
374   Mc    4, 41|             a quem até o vento e o mar obedecem?»~
375   Mc    5,  1|         chegaram à outra margem do mar, na região dos gerasenos.
376   Mc    5, 13|        monte abaixo para dentro do mar, onde se afogou.~
377   Mc    5, 21|     novamente para o outro lado do mar. Uma numerosa multidão se
378   Mc    6, 47|            barca estava no meio do mar e Jesus sozinho em terra.
379   Mc    6, 48|         discípulos andando sobre o mar, e queria passar na frente
380   Mc    6, 49|          avistaram andando sobre o mar, pensaram que era um fantasma
381   Mc    7, 31|          Sidônia e continuou até o mar da Galiléia, atravessando
382   Mc    9, 42|            que ele fosse jogado no mar com uma pedra de moinho
383   Mc   11, 23|           Levante-se e jogue-se no mar, e não duvidar no seu coração,
384   Lc   17,  2|            pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um
385   Lc   17,  6|    Arranque-se daí, e plante-se no mar’. E ela obedeceria a vocês.~
386   Lc   21, 25|        apavoradas com o barulho do mar e das ondas.
387  Joa    6,  1|         foi para a outra margem do mar da Galiléia, também chamado
388  Joa    6, 16|    discípulos de Jesus desceram ao mar.
389  Joa    6, 17|        Cafarnaum, do outro lado do mar.  era noite, e Jesus ainda
390  Joa    6, 18|            Soprava vento forte e o mar estava agitado.
391  Joa    6, 22|            ficado do outro lado do mar, viu quehavia só uma
392  Joa   21,  1|            discípulos na margem do mar de Tiberíades. E apareceu
393   At    4, 24|          criaste o céu, a terra, o mar e tudo que existe neles.
394   At    7, 36|           e prodígios no Egito, no mar Vermelho e durante quarenta
395   At   10,  6|           Simão, que vive perto do mar.»
396   At   10, 32|            curtidor Simão, à beira-mar!’
397   At   14, 15|          que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que neles existe.
398   At   21,  7|     Continuando a nossa viagem por mar, de Tiro chegamos a Ptolemaida.
399   At   27,  5|              5 Tendo atravessado o mar ao longo da Cilícia e da
400   At   27, 18|       começaram a jogar a carga no mar.
401   At   27, 19|          próprias mãos lançaram ao mar até o equipamento do navio.
402   At   27, 27|           de um lado para outro no mar Adriático, quando, aí pela
403   At   27, 30|         estavam descendo o bote ao mar.
404   At   27, 32|         deixaram que ele caísse no mar.~
405   At   27, 38|        fartura, jogaram o trigo ao mar, aliviando assim o navio.~
406   At   27, 40|            o navio ao movimento do mar. Ao mesmo tempo, desamarraram
407   Rm    9, 27|    israelitas seja como a areia do mar, o resto é que será salvo;
408 1Cor   10,  1|        nuvem; todos atravessaram o mar
409 1Cor   10,  2|                 2 e, na nuvem e no mar, todos receberam um batismo
410 2Cor   11, 25|            dia e uma noite em alto mar.
411 2Cor   11, 26|     perigos no deserto, perigos no mar, perigos por parte dos falsos
412   Hb   11, 12|         grãos de areia da praia do mar.~
413   Hb   11, 29|            Pela , atravessaram o mar Vermelho como se fosse terra
414   Tg    1,  6|            duvida é como a onda do mar, que o vento leva de um
415   Jd    1, 13|           como as ondas bravias do mar, espumando a própria indecência.
416   Ap    4,  6|            trono havia como que um mar de vidro, como cristal.
417   Ap    5, 13|          de debaixo da terra, e do mar, todos os seres vivos proclamaram:~«
418   Ap    7,  1|            soprar na terra, nem no mar, nem nas árvores.
419   Ap    7,  2|          de fazer mal à terra e ao mar:
420   Ap    7,  3|         prejudiquem a terra, nem o mar, nem as árvores! Primeiro
421   Ap    8,  8|          Anjo tocou. Foi jogada no mar uma coisa parecida com uma
422   Ap    8,  8|            brasa. A terça parte do mar virou sangue.
423   Ap    8,  9|       terça parte das criaturas do mar morreu. A terça parte dos
424   Ap   10,  2|            Colocou o  direito no mar e o esquerdo na terra,
425   Ap   10,  5|           que estava de  sobre o mar e a terra, levantou a mão
426   Ap   10,  6|          tudo o que nela existe, o mar e tudo o que nele existe: «
427   Ap   10,  8|        Anjo que está de  sobre o mar e sobre a terra.»
428   Ap   12, 12|        vivem.~Mas ai da terra e do mar,~porque o Diabo desceu para
429   Ap   12, 18|            ficou em  na praia do mar.~
430   Ap   13,  1|             uma Besta que subia do mar. Tinha dez chifres e sete
431   Ap   14,  7|            fez ~o céu e a terra, o mar e as fontes.»~O Evangelho
432   Ap   15,  2|            2 Vi também como que um mar de vidro misturado com fogo.
433   Ap   15,  2|     misturado com fogo. Sobre esse mar, estavam de  todos aqueles
434   Ap   16,  3|          Anjo despejou sua taça no mar. E o mar virou sangue, como
435   Ap   16,  3|      despejou sua taça no mar. E o mar virou sangue, como sangue
436   Ap   16,  3|            todos os seres vivos do mar morreram.~
437   Ap   18, 17| marinheiros e quantos trabalham no mar ficaram ao longe.
438   Ap   18, 19|                 19 Esses homens do mar jogaram cinza na cabeça,
439   Ap   18, 19|            os que tinham navios no mar ~acabaram se enriquecendo. ~
440   Ap   18, 21|            de moinho, e a jogou no mar, dizendo:~«Com esta força
441   Ap   20,  8|            deles é como a areia do mar.
442   Ap   20, 13|                               13 O mar devolveu os mortos que nele
443   Ap   21,  1|       primeira terra passaram, e o mar  não existe.

 

 

Veja mais detalhes sobre O MAR DA GALILEIA

** O termo “mar”, além em Marcos,  acorre também em Mateus e em João e em outros livros do Antigo Testamento (Cf. Nm 34,11; Js 13,27) como também no uso árabe e israelense posterior.

** Entre os evangelistas somente Lucas usa sempre o nome ‘LAGO” e não “mar”. (Cf. Lc 5,1; 5,2; 8,22; 8,23; 8,33) (Cf. também José Flávio, Vita 65)   (BATTAGLIA:  p. 28)

** Pode ser que Lucas liga “lago” ao LAGO usado no Apocalipse, principalmente em Lc 8,33 (Os demônios saíram do homem, e entraram nos porcos. E a manada atirou-se monte abaixo para dentro do lago, onde se afogou.) (Cf. Ap 19,20; 20,10; 20,14; 20,14; 20,15; 20,21)

** Para os judeus, o mar – e o lago de Tiberíades ou de Genesaré é considerado, para todos os efeitos, um “mar” – era o lugar onde habitavam os monstros, os demônios e todas as forças que se opunham à vida e à felicidade do homem. Na perspectiva da teologia judaica, no mar o homem estava à mercê das forças demoníacas; e só o poder de Deus podia salvá-lo…

** O sentido do mar para o mundo bíblico: é sinônimo de perigo; evoca morte e domínio do mal. (Francisco Cornélio)

** Entre as forças da natureza, o mar era o ‘grande abismo’, símbolo do caos. (Dom Sebastião Armando Gameleira Soares)

** Conhecido também como  Lago de Tiberíades ou da Genesaré, esse lago de água doce com 21 quilômetros de comprimento e 12 de largura situado na Galileia e que é o grande reservatório de água doce da Palestina.

 

** A simbologia do mar é muito antiga e muito difundida. O mar guarda e esconde os monstros das profundezas. O mar é concomitantemente o símbolo da vida e da morte. Ele acolhe tudo, mas devolve tudo o que não é dele. Entre muitos povos antigos cultivava-se a teoria de que o mar, como propriedade divina tinha o poder de dar e de tirar a vida. Do mar procede uma das bestas do Apocalipse (Ap 13,1ss). O mar vai ser o sinal da separação de inimigo para o povo que saía de Egito (Ex 14,14ss). Quando se faz noite, as ondas são sempre mais fortes e mais imprevisíveis porque não se enxerga mais ao longe. (Izidoro Mazzarolo – Nem aqui, nem em Jerusalém -2001)

 

 

 

MAR DA GALILEIA  (2 vezes)

(qa,lassan th/j Galilai,aj)

 

1.   1,16 Ao passar  pela beira do mar da GALILEIA, (qa,lassan th/j Galilai,aj) viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar, (qala,ssh) pois eram pescadores. 

 

2.   7,31 Saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da GALILEIA (qa,lassan th/j Galilai,aj)  atravessando a região da Decápole.  

————————–

 

A BEIRA DO MAR (6 vezes)

(para. th.n qa,lassan)

 

1)   1,16 Ao passar pela beira do mar (para. th.n qa,lassan) da Galileia,  viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar, pois eram pescadores.

2)   2,13 Ele saiu de novo para a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Toda a multidão ia ao seu encontro. E os ensinava. 

3)   3,7 JESUS se retirou para a beira do mar, (pro.j th.n qa,lassan) junto com seus discípulos. Grande multidão da Galileia o seguia.  8 E também da Judeia, de Jerusalém, da Idumeia, do outro lado do (rio) Jordão, dos territórios de Tiro e da Sidônia, uma grande multidão foi até Ele, porque tinha ouvido falar de tudo o que ele fazia.

4)   4,1 Ele começou a ensinar de novo  a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Uma multidão se reuniu em volta dele, a tal ponto que Ele  entrou na barca e sentou no mar (kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|),

5)   4,1 enquanto a multidão estava a beira mar (pro.j th.n qa,lassan), quer dizer na terra.

6)   5,21 JESUS atravessou de barca de novo  para o outro lado (do mar). Uma numerosa MULTIDÃO se reuniu junto dele, e (Ele) ficou a beira mar (para. th.n qa,lassan). 22 Aproximou-se um dos chefes da sinagoga, chamado  Jairo.

 

—————————-

 

JOGADO NO MAR (2 vezes)

(be,blhtai eivj th.n qa,lassan)

 

1.   9,42 E se alguém escandalizar   um destes pequeninos que creêm, seria melhor que ele fosse jogado no mar (be,blhtai eivj th.n qa,lassan)  com uma pedra de moinho amarrada no pescoço.

2.   11,23 Em verdade digo a vocês: se alguém disser a esta montanha:                       ‘Levante-se e jogue-se no mar (blh,qhti eivj th.n qa,lassan), e não duvidar no seu coração, mas crer no que disse, assim acontecerá’.

 

 

 

——————–

JOGAR A REDE AO MAR

(avmfiba,llontaj evn th/| qala,ssh|)

 

1,16 Ao passar pela beira do mar da Galileia,  viu Simão e seu irmão André;  estavam jogando a rede ao mar (qala,ssh), pois eram pescadores.

 

 

 

JESUS SENTAR NO MAR

(kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|)

 

4,1 Ele começou a ensinar de novo  a beira do mar (para. th.n qa,lassan). Uma multidão se reuniu em volta dele, a tal ponto que Ele  entrou na barca e sentou no mar (kaqh/sqai evn th/| qala,ssh|),  enquanto a multidão estava a beira mar (pro.j th.n qa,lassan), quer dizer na terra.

 

JESUS DOMINA OS PERIGOS DO MAR

 

1.   4, 39 Então se levantou e repreendeu o vento  e disse ao mar (qala,ssh|):  “Cale-se! Acalme-se!”  O vento parou e tudo ficou calmo. 40 Então lhes perguntou: “Por que vocês são tão medrosos? Vocês ainda não têm  fé?”

 

2.   4,41 Eles ficaram tomados de muito medo e diziam uns aos outros: “Quem é esse homem,  a quem até o vento e o mar (qa,lassa) obedecem?

 

3.   6,47 Ao anoitecer, a barca estava no meio do mar (qala,sshj)  e Ele sozinho em terra.

  

4.   6,48 Jesus viu que eles estavam cansados de remar,  porque o vento era contrário. Então, por volta da quarta vigília da noite. Ele foi até eles andando sobre o mar, (peripatw/n evpi. th/j qala,sshj) e queria passar na frente deles.

 

5.   6,49 Quando o avistaram andando sobre o mar (evpi. th/j qala,sshj peripatou/nta)  pensaram que era um fantasma e começaram a gritar. 50 Com efeito, todos o tinham visto e ficaram assustados. Mas Ele logo falou: “Coragem! Eu Sou  não tenham medo!” 51 Então subiu com eles na barca. E o vento parou. Mas eles ficaram ainda mais espantados, 52 porque não tinham compreendido o acontecimento dos pães. O coração deles estava endurecido. 

 

 

5,1 Chegaram à outra margem do mar (qala,sshj),  na região dos gerasenos.

5,13 Ele deixou. Os espíritos impuros  saíram do homem e entraram nos porcos. E a manada – mais ou menos uns dois mil porcos –  atirou-se monte abaixo para dentro do mar (qa,lassan), onde se afogou no mar (qala,ssh).

 

Leave a Reply