OS IRMÃOS DE JESUS

A QUESTAO DOS “IRMAOS” DE JESUS

Dom Estevão Bittencourt

O que dizem os textos do Novo Testamento?

São sete os textos do Novo Testamento que mencionam irmãos de Jesus:

  1. Mc 6, 3 -  2 Quando chegou o Sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o ouviam ficavam admirados e diziam: “De onde vem tudo isso? Onde foi que arranjou tanta sabedoria? E esses milagres que são realizados pelas mãos dele?  3 Esse homem não é o carpinteiro, o filho de Maria e irmão de Tiago, de Jose, de Judas e de Simão? E suas irmãs não moram aqui conosco?” E ficaram escandalizados por causa dele.  (Cf. Mt 13, 55-55);
  2. Mc 3, 31-35 -  3,31 Nisso chegaram sua mãe e seus irmãos; ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo:  32 Havia uma multidão sentada em torno dele. Então lhe disseram: “Olha, tua mãe e teus irmãos estão aí fora e te procuram.” (Cf. Mt 12,46 //Lc 8,19-20);
  3. Jo 2, 12 - Depois disso, Jesus desceu para Cafarnaum com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos. E aí ficaram apenas alguns dias.
  4. Jo 7, 2-10;  3 Então os irmãos de Jesus lhe disseram: “Tu deves sair daqui e ir para a Judeia, para que também teus discípulos possam ver as obras que fazes. 4 Quem quer ter fama não faz nada às escondidas. Se fazes essas obras, mostra-te ao mundo.”  5 Pois, nem mesmo os irmãos de Jesus acreditavam nele.
  5. At 1, 14 -  Todos eles tinham os mesmos sentimentos e eram assíduos na oração, junto com algumas mulheres, entre as quais Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos de Jesus.
  6. Gl 1,19 - Entretanto, não vi nenhum outro apóstolo, a não ser Tiago, o irmão do Senhor.
  7. 1 Cor 9, 5 - Ou não temos direito de levar conosco nas viagens uma mulher cristã, como fazem os outros apóstolos e os irmãos do Senhor, e Pedro?

Conforme Mc 6, 3 e Mt 13, 55-55, chamavam-se Tiago, Jose’, Judas e Simão. O texto mais expressivo é o de Mc 6, 3:

“Tendo Jesus pregado em Nazaré, sua cidade natal, os ouvintes, admirados, perguntavam donde Lhe provinha tanta sabedoria, e acrescentaram: ‘Não é ele o carpinteiro, o filho de Maria e irmão de Tiago, de José, de Judas, de Simão? E as suas irmãs não estão aqui entre nós?”

É um texto muito claro e muito precioso, porque nos diz até os nomes dos irmãos de Jesus. Mas exatamente isto nos ajuda, porque há outros textos que nos dizem quem são estas pessoas citadas aqui como irmãos de Jesus. Vamos comparar este texto com os dois outros.

Mt 27, 56 nos diz que, entre as mulheres que assistiram a crucifixão de Cristo, estavam “Maria Madalena e Maria mãe de Tiago e de José e a mãe dos filhos de Zebedeu” (veja também Mc 15, 40: “Achavam-se ali também umas mulheres observando de longe. Entre as quais Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago Menor e de José, e Salomé…”)

Os dois textos acima, definem, que havia, aos pés da cruz, uma mulher chamada Maria e que era mãe de Tiago e de José, os mesmos nomes que são chamados no Mc 6, 3 de irmãos de Jesus. Esta Maria era a mãe de Jesus (esposa de José) ou uma outra Maria?

A esta pergunta responde o evangelista João, capítulo 19, versículo 25. Vejamos: “Estavam junto à cruz de Jesus sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria esposa de Cleofas, e Maria Madalena”. Os dois textos indicam que a mãe de Tiago e de José era a irmã de Maria, mãe de Jesus.

Segundo o testemunho de um mais antigo historiador da Igreja, do século II, Hegesipo, Maria (a irmã de mãe de Jesus) e Cleofas, eram os pais de Tiago e José; tinham um terceiro filho, Judas (não Iscariotes), o qual no inicio da sua carta (Jd 1) se apresenta como irmão de Tiago. Segundo Hegesipo, ainda, Cleofas era irmão de José, esposo de Maria, mãe de Jesus. Quanto ao Simão, o quarto dos “irmãos” de Jesus, Hegesipo o apresenta também como filho de Cleofas.

Não são, portanto, os irmãos carnais de Jesus os quatro citados: Tiago, José, Judas e Simão, mas simplesmente primos de Jesus!

Se são primos, por que são chamados de “irmãos”?

É muito simples, mas para compreender isso devemos compreender a cultura dos tempos e do pais onde Jesus viveu. As pessoas, no tempo e no pais de Jesus, falavam a língua chamada aramaico. Era uma língua muito antiga, mas também bastante pobre em expressões, quer dizer, que uma palavra significava mais de uma coisa ou designava mais de uma realidade. As pessoas entendiam o significado conforme as circunstâncias. Já os paises vizinhos, falavam a língua grega, mais rica em vocábulos e conceitos.

A Bíblia, e especialmente o Novo Testamento, foi escrita na maior parte no ambiente aramaico, mas algumas partes foram concebidas no ambiente grego. Na questão que nos interessa, uma única palavra “ha” (irmão), no ambiente aramaico, significava membro de uma família, isto é, não somente os filhos dos mesmos genitores, mas também os primos ou até parentes mais distantes. Há no Novo Testamento lugares onde se usa a palavra “primo”. É exatamente onde se compreende a influência da língua grega nos textos do Novo Testamento.

Como exemplo, vamos citar alguns textos do Antigo Testamento:

  • Gn 13, 8: “Abraao disse a seu sobrinho Lote, filho do seu irmao: ‘Somos irmaos’ “. Ver tambem Gn 14, 14-16.
  • Gn 29, 12-15: Jaco’ se declara irmão de Labao, quando na verdade era filho de Rebeca, irmã de Labao. Ver ainda: 1 Cr 23, 21-23; 1 Cr 15, 5; 2 Cr 36, 10; 2 Rs 10, 13; Jz 9, 3; 1 Sm 20, 29.

Filho primogênito

O Evangelho de São Lucas diz: “E deu (Maria) à luz seu filho primogênito e, envolvendo-o em faixas, reclinou-o num presépio; porque não havia lugar para eles na hospedaria” (Lc 2, 7). Para alguns o termo “primogênito” significaria que Jesus seria o filho primeiro, após o qual teriam de vir outros. Acontece que quem pensa assim demonstra um total desconhecimento do sentido bíblico da palavra “primogênito”. Ela se refere não à quantidade (=primeiro na fila), mas à qualidade, isto é, a primogenitura significava a posição privilegiada do filho que nasceu primeiro e por isso dotado de especial amor dos pais, de especiais bênçãos de Deus, com direito a herança e como cabeça da família, chefe dos outros irmãos, se os tiver. Não significa, em absoluto, que era chamado “primogênito” porque havia outros após ele. Poderia bem ser filho único e ser chamado “primogênito”, pois sobre ele pousava o privilegio da primogenitura. Usando esta expressão, São Lucas quis destacar o caráter singular desta natividade para a Sagrada Família, fato que para cada família era motivo de grande alegria.

Com freqüência, na Bíblia e nas expressões antigas encontramos expressões onde “primogênito” significa também “unigênito”. É o caso de uma inscrição sepulcral judaica, datada do ano 5 antes de Cristo e descoberta em Tell el-Yedouhieh (Egito) no ano 1922: lê-se aí que uma jovem mulher chamada Arsinoe’ morreu “nas dores do parto de seu filho primogênito”. A palavra “primogênito” significa apenas aquele antes do qual não houve outro, não necessariamente aquele apos o qual houve outros.

 

“Mulher, eis ai’ teu filho…” (Jo 19, 26)

 Ao morrer na cruz, Jesus confiou a sua Mãe ao discípulo São João. Se Maria tivesse outros filhos, seria lógico que esses assumissem os cuidados pela mãe, ainda mais no ambiente judaico. Jesus teria feito um grande desaforo `a sua família se, tendo irmãos carnais, entregasse a sua mãe a uma pessoa estranha!

——————-

OBS.: Este texto é uma copia de trechos de dois artigos publicados na revista “Cavaleiro da Imaculada” – N. 176/177 – agosto/setembro/1993 Os artigos são baseados no livro “Diálogos Ecumênicos” de D. Estevão Bittencourt.

OS IRMAOS DE JESUS-SIGNIFICADO DA PALAVRA IRMÃO

Pe. Lucas de Paula Almeida, CM

       Há uma discussão entre católicos e protestantes em torno dos “irmãos de Jesus”. Essa expressão ocorre várias vezes nos Evangelhos.

  • Os protestantes, apoiando-se na sua própria tradição, explicam essa expressão ao pé da letra e dizem: “Maria teve mais filhos. Ela não é virgem” De fato, São Marcos diz que os irmãos de Jesus eram quatro e ele dá os nomes: “Tiago, Joset, Judas e Simão” (Mc 6,3).  Ele ainda fala em “irmãs de Jesus”. Assim, junto com Jesus seriam, no mínimo sete irmãos, todos filhos de José e de Maria.
  • Os Católicos, apoiando-se na sua própria tradição, já muito antiga, dizem que Nossa Senhora só teve um único filho, Jesus e que ela permaneceu virgem até o fim da vida. Eles também têm seus argumentos. Dizem que não se pode explicar ao pé da letra as expressões “irmãos de Jesus”, pois na língua de Jesus, a palavra IRMAO era muito elástica. Lá dentro cabia muita gente, não só os irmãos, filhos dos mesmos pais, mas também os primos e outros parentes. Era mais ou menos como a palavra primo, hoje, no Brasil. É também uma palavra muito elástica que não pode ser tomada ao pé da letra, por exemplo, um fulano chega perto de você e diz: Aquele lá é um primo meu”. Você toma a palavra primo ao pé da letra e pergunta: “Então, é filho de um irmão de seu pai ou de sua mãe?” Ele responde: “Que nada! É filho do irmão de um tio de meu avô!” . Realmente, no Brasil, a gente não pode tomar ao pé da letra a palavra primo; A mesma coisa vale para a Palavra irmão na língua de Jesus.

Se você fosse perguntar a São Marcos: “Então, aqueles quatro irmãos de Jesus são todos filhos de José e de Maria?”. Ele responderia: Que nada! São filhos de uma prima ou irmã da mãe de Jesus!” De fato, o mesmo Marcos diz de Tiago que ele é irmão de Jesus (Mc 6,3), e filho de uma outra Maria (Mc 16,1). São Mateus diz claramente que se tratava de uma outra Maria” (Mt 28,1). Fala-se muito deste Tiago, irmão do Senhor” (GI 1,19), porque ocupava cargos de importância na Igreja dos primeiros cristãos. Assim aquelas pessoas ditas irmãos ou irmãs de Jesus eram primos e primas. Aliás, se Jesus tivesse tido mais irmãos e irmãs, será que na hora de morrer na cruz, iria entregar sua mãe ao apóstolo João que era um estranho e não pertencia à família (Jo 19,27)? Será que estes irmãos, sobretudo, essas irmãs, iriam permitir uma coisa assim?

De qualquer maneira, tanto os católicos como os protestantes, ambos tem seus argumentos, mas não convém brigar por causa disto nem convém gastar muito tempo nestas discussões, pois um não vai conseguir convencer o outro. Cada um ficará com a sua convicção que, no fundo, não depende dos argumentos, mas sim do amor. O importante mesmo é imitar o exemplo de Maria.

 

EXPLICANDO A PALAVRA IRMÃO

NA LÍNGUA DE JESUS

1)”Disse Abraão a Ló: Peço-te que não haja brigas entre mim e ti, nem entre nossos pastores, pois somos irmãos” (Gênesis 13,8). Ora, a Bíblia nos fala que Ló era filho de Arão, e Arão era irmão de Abraão (GN 11,27-28). Vejam só: Abraão era tio de Ló e chama Ló de irmão.

2) “Eleasar morreu e não deixou filhos, mas filhas e estas casaram-se com os filhos de Cis seus irmãos”(1Cr 23,22). Eleasar e Cis eram filhos de Mooli (1Cr 23,21). Logo os filhos de Cis eram primos primeiros das filhas de Eleasar. E a Bíblia falou que os filhos de Cis eram “irmãos” das filhas de Eleasar.

OS CHAMADOS IRMÃOS DE JESUS  O QUE ERAM?

       Os chamados irmãos de Jesus (Tiago, José, Judas e Simão) são primos.

Descrevendo a cena do calvário São João fala que lá estavam, junto da cruz de Jesus, sua mãe, a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena (João 19,25).

Descrevendo a mesma cena, São Mateus e São Marcos falam que esta outra Maria era mãe de Tiago, o menor e de José (MT 27,56 e MC 15,40).

Vimos então, que Tiago e José chamados por Marcos de irmãos de Jesus eram filhos da outra Maria, a mulher de Cléofas ou Alfeu.

Esta outra Maria era “irmã ” ou prima de Nossa Senhora como disse São João.

Logo, Tiago e José eram primos – primeiros ou primos -segundos  de Jesus. Judas, outro irmão”  de Jesus é apontado como irmão de Tiago (Lc 6,16) e ele mesmo, na sua Epístola, fala que é irmão de Tiago (Jd 1).

Logo, ele é também primo de Jesus, o mesmo acontecendo com Simão.

—————————–

http://www.padrelucas.com.br/estudio.asp

Leave a Reply