PASTOR – OVELHAS

PASTOR – OVELHAS

Marcos usa a palavra PASTOR e OVELHAS duas vezes:

 6,34 Quando Jesus saiu da barca,  viu uma grande MULTIDÃO e teve compaixão, porque eles estavam como ovelhas sem pastor(Cf. Mt 9,36)  Então começou a ensinar  muitas coisas para eles. 

 14,26 Tendo cantado o hino, saíram para o monte das Oliveiras. 27 Então JESUS lhes disse: “Vocês todos vão ficar escandalizadosporque a Escritura diz: ‘Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão’. (Zc 13,7)  28 Mas, depois da minha ressurreição, eu irei à frente de vocês para a GALILEIA.” (Cf.:16,7)

  

Para entender quem eram os pastores e as ovelhas precisamos ir aos profetas do Antigo Testamento

Os pastores são os reis, os responsáveis, os dirigentes do povo.

As ovelhas são o povo.

Ez 34, 1-31

Jr 23,1-6

Sl 23

Jo 10 – Jesus é o Bom Pastor

 

Jeremias 23, 1-6

Javé, nossa justiça -* 1 Ai dos pastores que espalham e extraviam as ovelhas do meu rebanho – oráculo de Javé. 2 Por isso assim diz Javé, o Deus de Israel, contra os pastores encarregados de cuidar do meu povo: Vocês espalharam e expulsaram minhas ovelhas e não se preocuparam com elas. Pois agora sou eu que vou pedir contas a vocês pelo mal que praticaram – oráculo de Javé. 3 Eu mesmo vou reunir o que sobrou das minhas ovelhas de todas as regiões para onde eu as tinha expulsado. Vou trazê-las de volta para as suas pastagens, para que cresçam e se multipliquem. 4 Vou dar-lhes pastores que cuidem delas, e elas não terão mais medo ou susto, nem se perderão – oráculo de Javé.

5 Vejam que vão chegar dias – oráculo de Javé – em que eu farei brotar para Davi um broto justo. Ele reinará como verdadeiro rei e será sábio, pondo em prática o direito e a justiça no país. 6 Em seus dias, Judá estará a salvo e Israel viverá em paz; e a ele darão o nome de «Javé, nossa justiça».

7 Vejam que vão chegar dias – oráculo de Javé – em que não se dirá mais: «Viva Javé, que tirou os israelitas do Egito». 8 Em lugar disso, dirão: «Viva Javé, que tirou a descendência de Israel do país do Norte e de todos os países para onde os havia expulsado, trazendo-os de novo para a sua terra».

——————-

* 23,1-8: O oráculo é, provavelmente, pós-exílico. Apresenta uma avaliação negativa dos reis de Judá, mostrando que a política deles foi a principal responsável pela queda de Jerusalém e pelo exílio. Os vv. 5-6 manifestam a esperança de um futuro rei justo, que governará o povo conforme a justiça e o direito.

********

Dos DEHONIANOS

AMBIENTE

Jeremias, o profeta nascido em Anatot por volta de 650 a.C., exerceu a sua missão profética desde 627/626 a.C., até depois da destruição de Jerusalém pelos Babilónios (586 a.C.). O cenário da actividade do profeta é, em geral, o reino de Judá (e, sobretudo, a cidade de Jerusalém).
A primeira fase da pregação de Jeremias abrange parte do reinado de Josias. Este rei – preocupado em defender a identidade política e religiosa do Povo de Deus – leva a cabo uma impressionante reforma religiosa, destinada a banir do país os cultos aos deuses estrangeiros. A mensagem de Jeremias, neste período, traduz-se num constante apelo à conversão, à fidelidade a Jahwéh e à aliança.
No entanto, em 609 a.C., Josias é morto, em combate contra os egípcios. Joaquim sucede-lhe no trono. A segunda fase da actividade profética de Jeremias abrange o tempo de reinado de Joaquim (609-597 a.C.).
O reinado de Joaquim é um tempo de desgraça e de pecado para o Povo, e de incompreensão e sofrimento para Jeremias. Nesta fase, o profeta aparece a criticar as injustiças sociais (às vezes fomentadas pelo próprio rei) e a infidelidade religiosa (traduzida, sobretudo, na busca das alianças políticas: procurar a ajuda dos egípcios significava não confiar em Deus e, em contrapartida, colocar a esperança do Povo em exércitos estrangeiros). Jeremias está convencido de que Judá já ultrapassou todas as medidas e que está iminente uma invasão babilónica que castigará os pecados do Povo de Deus. É, sobretudo, isso que ele diz aos habitantes de Jerusalém… As previsões funestas de Jeremias concretizam-se: em 597 a.C., Nabucodonosor invade Judá e deporta para a Babilónia uma parte da população de Jerusalém.
No trono de Judá fica, então, Sedecias (597-586 a.C.). A terceira fase da missão profética de Jeremias desenrola-se, precisamente, durante este reinado.
Após alguns anos de calma submissão à Babilónia, Sedecias volta a experimentar a velha política das alianças com o Egipto. Jeremias não está de acordo que se confie em exércitos estrangeiros mais do que em Jahwéh… Mas, nem o rei, nem os notáveis lhe prestam qualquer atenção à opinião do profeta. Considerado um amargo “profeta da desgraça”, Jeremias apenas consegue criar o vazio à sua volta.
Em 587 a.C., Nabucodonosor põe cerco a Jerusalém; no entanto, um exército egípcio vem em socorro de Judá e os babilónios retiram-se. Nesse momento de euforia nacional, Jeremias aparece a anunciar o recomeço do cerco e a destruição de Jerusalém (cf. Jer 32,2-5). Acusado de traição, o profeta é encarcerado (cf. Jer 37,11-16) e corre, inclusive, perigo de vida (cf. Jer 38,11-13). Enquanto Jeremias continua a pregar a rendição, Nabucodonosor apossa-se, de facto, de Jerusalém, destrói a cidade e deporta a sua população para a Babilónia (586 a.C.).
O texto que nos é hoje proposto como primeira leitura faz referência a esses tempos de desnorte nacional, em que Judá, sem líderes capazes, já perdeu as referências e a esperança no futuro. No texto, Deus condena os “pastores” de Israel porque dispersaram as ovelhas do rebanho, o que parece aludir ao exílio na Babilónia. Provavelmente, este texto deve situar-se entre 597 e 586 a. C., no tempo que vai desde o primeiro exílio (após a primeira queda de Jerusalém – 597 a. C.) ao segundo exílio (após a segunda tomada de Jerusalém pelos Babilónios – 586 a. C.).
O uso da imagem do “pastor” para falar dos líderes da nação é bastante frequente no Antigo Testamento. Aliás, a imagem adquiriu uma força especial na sequência de David, o pastor que Jahwéh ungiu e transformou em rei, encarregando-o de cuidar do rebanho do Povo de Deus.

MENSAGEM

O nosso texto começa com uma breve exposição da culpa: os “pastores” de Judá perderam, dispersaram, escorraçaram as ovelhas do Senhor, sem terem cuidado delas (vers. 1-2a). Cada um dos verbos utilizados faz referência a factos concretos (bem recentes) da história de Judá. O aventureirismo, os interesses pessoais, as jogadas políticas, a inconsciência dos líderes trouxeram consequências funestas ao Povo, ao “rebanho” de Deus. Os líderes de Judá não procuraram servir o Povo, mas serviram-se do Povo para concretizar os seus objectivos pessoais. Ora, o “rebanho” não é propriedade dos “pastores”, mas do Senhor… Deus chamou-os a uma missão concreta, encarregou-os de cuidar do seu “rebanho” e eles, depois de terem aceite o compromisso, falharam totalmente.
Depois da culpa, vem a sentença: Deus vai “ocupar-se” desses maus pastores: vai castigá-los, pedir-lhes contas das suas más acções (vers. 2b). Deus não está disposto a tolerar abusos de confiança, nem pode pactuar com líderes que exploram o “rebanho” em seu benefício próprio. Na perspectiva de Deus, trata-se de algo intolerável e que não pode ser deixado em claro.
Mas a intervenção de Deus não se fica pelo pedir contas aos maus líderes… O próprio Jahwéh vai intervir, no sentido de salvar o seu “rebanho”. A intervenção de Deus justifica-se pelo facto de se tratar do “rebanho” do Senhor e de Ele ter responsabilidades para com as suas ovelhas.
A intervenção de Deus vai desenvolver-se em três tempos, ou momentos… O primeiro é a repatriação dos exilados: as ovelhas serão devolvidas “às sua pastagens para que cresçam e se multipliquem” (vers. 3). Para esta tarefa, Deus não conta com intermediários: Ele mesmo vai liderar o processo de libertação e de regresso dos exilados à terra.
O segundo momento da intervenção de Deus consiste na escolha de “pastores” exemplares (vers. 4). A missão desses “pastores” será, simplesmente, “apascentar”. Isso implica, naturalmente, o cuidado, a solicitude, o amor, a ternura pelo rebanho… Esses pastores estarão, naturalmente, ao serviço do rebanho e não usarão o rebanho para concretizar os seus interesses pessoais. As “ovelhas” aprenderão a confiar nesse “pastor” que as ama e não terão mais “medo nem sobressalto”.
O terceiro momento da intervenção de Deus é projectado para um futuro sem data marcada. Promete a chegada de um “rebento justo” da dinastia de David (vers. 5). A imagem tirada do reino vegetal (“rebento”) sugere fecundidade e vida em abundância, porque ele dará vida em abundância ao rebanho de Jahwéh. Ele assegurará “o direito e a justiça” e trará salvação e segurança ao Povo de Deus. O nome desse rei será “o Senhor é a nossa justiça” (vers. 6), pois é Deus que o legitima e a sua missão será administrar a justiça que Deus quer. Garantindo a justiça, esse “pastor” irá trazer a harmonia, a paz, a tranquilidade, a salvação, a vida verdadeira ao Povo de Deus. Esta promessa com contornos messiânicos pretende anular a frustração e o desespero e inaugurar um tempo de esperança para o Povo de Deus.

ACTUALIZAÇÃO

• Antes de mais, o nosso texto mostra a preocupação de Deus com a vida e a felicidade do seu Povo. Nos momentos conturbados da nossa história (colectiva ou pessoal) sentimo-nos, muitas vezes, órfãos, perdidos e abandonados ao sabor dos ventos e das marés… As catástrofes que afectam o mundo, os conflitos que dividem os povos, a miséria que toca a vida de tantos dos nossos irmãos, os perigos dos fundamentalismos, as mudanças vertiginosas que o mundo todos os dias sofre, a perda dos valores em que apostávamos, as novas e velhas doenças, as crises pessoais, os problemas laborais, as dificuldades familiares trazem-nos a consciência da nossa pequenez e impotência frente aos grandes desafios que o mundo hoje nos apresenta. Sentimo-nos, então, “ovelhas” sem rumo e sem destino, abandonadas à nossa sorte. Por vezes, no nosso desespero, apostamos em “pastores” humanos que, em lugar de nos conduzirem para a vida e para a felicidade, nos usam para satisfazer a sua ânsia de protagonismo e para realizar os seus projectos egoístas… A Palavra de Deus que nos é proposta neste domingo garante-nos que Deus é o “Pastor” que se preocupa connosco, que está atento a cada uma das suas “ovelhas”; Ele cuida das nossas necessidades e está permanentemente disposto a intervir na nossa história para nos conduzir por caminhos seguros e para nos oferecer a vida e a paz. É n’Ele que temos de apostar, é n’Ele que temos de confiar. Esta constatação deve ser, para todos os crentes, uma fonte de alegria, de esperança, de serenidade e de paz.

• As ameaças contra os maus pastores apresentadas neste texto de Jeremias talvez nos tenham levado a pensar nos líderes do mundo, nos nossos governantes e, talvez também, nos líderes da Igreja. Na verdade, a nossa história recente está cheia de situações em que as pessoas encarregadas de cuidar da comunidade humana usaram o “rebanho” em benefício próprio e magoaram, torturaram, roubaram, assassinaram, privaram de vida e de felicidade essas pessoas que Deus lhes confiou… De qualquer forma, este texto toca-nos a todos, pois todos somos, de alguma forma, responsáveis pelos irmãos que caminham connosco. Convida-nos a reflectir sobre a forma como tratamos os irmãos, na família, na Igreja, no emprego, em qualquer lado… Recorda-nos que os irmãos que caminham connosco não estão ao serviço dos nossos interesses pessoais e que a nossa função é ajudar todos a encontrar a vida e a felicidade.

• O nosso texto faz referência a “um rei” que Deus vai enviar ao encontro do seu Povo e que governará com sabedoria e justiça. Jesus é a concretização desta promessa. Ele veio propor ao “rebanho” de Deus a vida plena e verdadeira… Como é que nós, as “ovelhas” a quem se destina a proposta de salvação que Deus nos faz em Jesus, acolhemos o que Ele nos veio dizer? As propostas de Jesus encontram eco na nossa vida? Estamos sempre dispostos a acolher as indicações e os valores que Ele nos apresenta?

——-

http://www.dehonianos.org/portal/liturgia/?mc_id=2130

 

**********************

 

Ezequiel 34, 1-31

Traidores do povo -* 1 Recebi de Javé a seguinte mensagem: 2 «Criatura humana, profetize contra os pastores de Israel, dizendo: Assim diz o Senhor Javé: Ai dos pastores de Israel que são pastores de si mesmos! Não é do rebanho que os pastores deveriam cuidar? 3 Vocês bebem o leite, vestem a lã, matam as ovelhas gordas, mas não cuidam do rebanho. 4 Vocês não procuram fortalecer as ovelhas fracas, não dão remédio para as que estão doentes, não curam as que se machucaram, não trazem de volta as que se desgarraram e não procuram aquelas que se extraviaram. Pelo contrário, vocês dominam com violência e opressão. 5 Por falta de pastor, minhas ovelhas se espalharam e se tornaram pasto de feras selvagens. 6 Minhas ovelhas se espalharam e vagaram sem rumo pelos montes e morros. Minhas ovelhas se espalharam por toda a terra, e ninguém as procura para cuidar delas. 7 Por isso, vocês, pastores, ouçam a palavra de Javé: 8 Juro por minha vida – oráculo do Senhor Javé: Minhas ovelhas se tornaram presa fácil e servem de pasto para as feras selvagens. Elas não têm pastor, porque os meus pastores não se preocupam com o meu rebanho: ficam cuidando de si mesmos, em vez de cuidarem do meu rebanho. 9 Por isso, pastores, ouçam a palavra de Javé! 10 Assim diz o Senhor Javé: Vou me colocar contra os pastores. Vou pedir contas a eles sobre o meu rebanho, e não deixarei mais que eles cuidem do meu rebanho. Desse modo, os pastores não ficarão mais cuidando de si mesmos. Eu arrancarei minhas ovelhas da boca deles, e elas não servirão mais de pasto para eles».

O governo de Javé -* 11 «Assim diz o Senhor Javé: Eu mesmo vou procurar as minhas ovelhas. 12 Como o pastor conta o seu rebanho, quando está no meio de suas ovelhas que se haviam dispersado, eu também contarei as minhas ovelhas, e as reunirei de todos os lugares por onde se haviam dispersado, nos dias nebulosos e escuros. 13 Eu as retirarei do meio dos povos e as reunirei de todas as regiões, e as trarei de volta para a sua própria terra. Aí, eu próprio cuidarei delas como pastor, nos montes de Israel, nos vales e baixadas do país. 14 Vou levá-las para pastar nas melhores invernadas, e o seu curral ficará no mais alto dos montes de Israel. Aí, elas poderão repousar num curral bom, e terão pastos abundantes sobre os montes de Israel. 15 Eu mesmo conduzirei as minhas ovelhas para o pasto e as farei repousar – oráculo do Senhor Javé. 16 Procurarei aquela que se perder, trarei de volta aquela que se desgarrar, curarei a que se machucar, fortalecerei a que estiver fraca. Quanto à ovelha gorda e forte, eu a destruirei, pois cuidarei do meu rebanho conforme o direito».

Justiça social -* 17 «Quanto a você, rebanho meu, assim diz o Senhor Javé: Vou julgar entre ovelha e ovelha, entre carneiros e bodes. 18 É pouco para vocês pastarem o melhor pasto? Por que ainda pisoteiam o resto do pasto? É pouco beberem a água limpa? Por que ainda sujam o resto com os pés? 19 Depois de tudo, as minhas ovelhas têm que pastar o que vocês pisotearam e beber a água que os pés de vocês sujaram. 20 Por isso, assim diz o Senhor Javé: Vou me colocar como juiz entre a ovelha gorda e a ovelha magra. 21 Com as ancas e com os ombros, vocês empurram as ovelhas mais fracas e ainda lhes dão chifradas, até expulsá-las para longe. 22 Pois bem! Vou salvar as minhas ovelhas, e elas não serão mais presa fácil. Eu serei o juiz entre ovelha e ovelha».

Paz e prosperidade -* 23 «Providenciarei um só pastor para cuidar das minhas ovelhas. Será o meu servo Davi. Ele cuidará delas, e será o seu pastor. 24 Eu, Javé, serei o Deus delas, e o meu servo Davi será o seu chefe. Fui eu, Javé, que falei.

25 Vou fazer com elas uma aliança de paz: acabarei com as feras, de modo que elas poderão deitar-se seguras no deserto e dormir tranqüilas no meio dos bosques. 26 Farei do país e da minha montanha uma bênção. Mandarei chuva no tempo certo, e será uma chuva abençoada. 27 A árvore do campo dará o seu fruto, a terra produzirá e todos estarão seguros, morando na própria terra. Quando eu quebrar as cangas do seu jugo e os libertar do poder dos tiranos, eles ficarão sabendo que eu sou Javé. 28 Eles não serão mais presa fácil das nações, e as feras nunca mais os irão devorar. Viverão tranqüilamente, sem que ninguém os amedronte. 29 Eu lhes darei uma lavoura farta, e não haverá mais mortos de fome no país, nem terão mais que se humilhar diante das outras nações. 30 Então eles ficarão sabendo que eu, Javé, estou com eles, e que eles, a casa de Israel, são o meu povo – oráculo do Senhor Javé. 31 Vocês são minhas ovelhas, ovelhas do meu rebanho. E eu sou o Deus de vocês – oráculo do Senhor Javé».

—————-

* 34,1-10: Na comparação do profeta, pastores são as autoridades políticas, e rebanho é o povo, que pertence exclusivamente a Deus. A função do pastor é cuidar do rebanho em todos os sentidos, principalmente defendê-lo diante dos lobos. O que acontece, porém? As autoridades políticas, em vez de cuidarem do povo, se preocupam exclusivamente com seus próprios interesses; em vez de servirem ao povo, elas o usam em proveito próprio; em vez de defenderem o rebanho, elas o entregam aos inimigos. Na visão do profeta, a ruína da nação é culpa exclusiva das autoridades que a governavam.

* 34,11-16: Liberto das autoridades que dele abusam, o povo pode reconhecer que a verdadeira autoridade é o próprio Deus, que projeta liberdade e vida para todos. Desse modo, nasce um novo discernimento político: o povo aprende que só poderá construir uma sociedade justa e fraterna quando souber escolher governantes que façam do projeto de Javé o alicerce do seu próprio projeto.

* 34,17-22: Para construir uma sociedade justa e fraterna, não basta eliminar governantes injustos e substituí-los por governantes justos. A justiça deve penetrar todas as relações sociais, eliminando a exploração e opressão do povo por uma classe privilegiada.

 * 34,23-31: Em meio à ruína de Jerusalém e no exílio, Ezequiel anuncia uma nova era de paz e prosperidade. Isso acontecerá quando houver uma autoridade política que realmente se coloque a serviço do povo, como fez o rei Davi (cf. Sl 72). João releu este capítulo e viu em Jesus a concretização do Deus pastor e do rei pastor que liberta a humanidade e a reúne em um só rebanho (Jo 10).

 

 SALMO 23 (22) *  Deus hospeda o perseguido

1* Salmo. De Davi.

Javé é o meu pastor. Nada me falta.

2 Em verdes pastagens me faz repousar; para fontes tranqüilas me conduz,

3 e restaura minhas forças. Ele me guia por bons caminhos, por causa do seu nome.

4 Embora eu caminhe por um vale tenebroso, nenhum mal temerei, pois junto a mim estás; teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo.

5* Diante de mim preparas a mesa, à frente dos meus opressores; unges minha cabeça com óleo, e minha taça transborda.

6 Sim, felicidade e amor me acompanham todos os dias da minha vida. Minha morada é a casa de Javé, por dias sem fim.

—————-

* Sl 23: Oração de confiança de uma pessoa perseguida que se refugiou no Templo. Os temas do pastor (vv. 1-4) e do anfitrião (vv. 5-6) recordam a marcha pelo deserto e o dom da terra.

* 1-4: A segurança junto a Deus se expressa com a imagem da ovelha cuidada pelo pastor. Junto a Deus, a pessoa adquire forças para enfrentar as situações mais adversas.

* 5-6: Asilado no Templo, o peregrino experimenta a hospitalidade de Deus, que o acolhe, ampara e defende dos inimigos. Essa atitude de Deus é modelo para todas as comunidades que se comprometem com o projeto dele.

*******************

 

João 10

O povo conhece a voz de Jesus -* 1 «Eu garanto a vocês: aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outro lugar, é ladrão e assaltante. 2 Mas aquele que entra pela porta, é o pastor das ovelhas. 3 O porteiro abre a porta para ele, e as ovelhas ouvem a sua voz; ele chama cada uma de suas ovelhas pelo nome e as conduz para fora. 4 Depois de fazer sair todas as suas ovelhas, ele caminha na frente delas; e as ovelhas o seguem porque conhecem a sua voz. 5 Elas nunca vão seguir um estranho; ao contrário, vão fugir dele, porque elas não conhecem a voz dos estranhos.» 6 Jesus contou-lhes essa parábola, mas eles não entenderam o que Jesus queria dizer.

Jesus é o único caminho -* 7 Jesus continuou dizendo: «Eu garanto a vocês: eu sou a porta das ovelhas. 8 Todos os que vieram antes de mim são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os ouviram. 9 Eu sou a porta. Quem entra por mim, será salvo. Entrará, e sairá, e encontrará pastagem. 10 O ladrão só vem para roubar, matar e destruir. Eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância.

11 Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. 12 O mercenário, que não é pastor a quem pertencem, e as ovelhas não são suas, quando vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e sai correndo. Então o lobo ataca e dispersa as ovelhas. 13 O mercenário foge porque trabalha só por dinheiro, e não se importa com as ovelhas.

14 Eu sou o bom pastor: conheço minhas ovelhas, e elas me conhecem, 15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou a vida pelas ovelhas. 16 Tenho também outras ovelhas que não são deste curral. Também a elas eu devo conduzir; elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor. 17 O Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la de novo. 18 Ninguém tira a minha vida; eu a dou livremente. Tenho poder de dar a vida e tenho poder de retomá-la. Esse é o mandamento que recebi do meu Pai.»

19 Essas palavras causaram de novo divisão entre as autoridades dos judeus. 20 Muitos diziam: «Ele tem um demônio! Está louco! Por que vocês o escutam?» 21 Outros diziam: «Essas palavras não são de um possesso, porque um demônio não pode abrir os olhos de um cego.»

As credenciais de Jesus são as suas obras -* 22 Em Jerusalém estava sendo celebrada a festa da Dedicação. Era inverno. 23 Jesus passeava pelo Templo, andando no pórtico de Salomão. 24 Então as autoridades dos judeus o rodearam e disseram: «Até quando nos irás deixar em dúvida? Se tu és o Messias, dize-nos abertamente.»

25 Jesus respondeu: «Eu já disse, mas vocês não acreditam em mim. As obras que eu faço em nome do meu Pai, dão testemunho de mim; 26 vocês, porém, não querem acreditar, porque vocês não são minhas ovelhas. 27 Minhas ovelhas ouvem a minha voz, eu as conheço, e elas me seguem. 28 Eu dou a elas vida eterna, e elas nunca morrerão. Ninguém vai arrancá-las da minha mão. 29 O Pai, que tudo entregou a mim, é maior do que todos. Ninguém pode arrancar coisa alguma da mão do Pai. 30 O Pai e eu somos um.»

31 As autoridades dos judeus pegaram pedras outra vez para apedrejar Jesus. 32 Então Jesus disse: «Por ordem do meu Pai, tenho feito muitas coisas boas na presença de vocês. Por qual delas vocês me querem apedrejar?» 33 As autoridades dos judeus responderam: «Não queremos te apedrejar por causa de boas obras, e sim por causa de uma blasfêmia: tu és apenas um homem, e te fazes passar por Deus.»

34 Jesus disse: «Por acaso, não é na Lei de vocês que está escrito: ‘Eu disse: vocês são deuses’? 35 Ninguém pode anular a Escritura. Ora, a Lei chama de deuses as pessoas para as quais a palavra de Deus foi dirigida. 36 O Pai me consagrou e me enviou ao mundo. Por que vocês me acusam de blasfêmia, se eu digo que sou Filho de Deus? 37 Se não faço as obras do meu Pai, vocês não precisam acreditar em mim. 38 Mas se eu as faço, mesmo que vocês não queiram acreditar em mim, acreditem pelo menos em minhas obras. Assim vocês conhecerão, de uma vez por todas, que o Pai está presente em mim, e eu no Pai.» 39 Eles tentaram outra vez prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles.

O testemunho é eficaz -* 40 Jesus atravessou de novo o rio Jordão e foi para o lugar onde antes João ficava batizando. E aí ficou. 41 Muitos foram ao seu encontro. E diziam: «João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito desse homem é verdade.» 42 E aí muitos acreditaram em Jesus.

———————

* 10,1-6: Nesta comparação, o curral representa a instituição que explora e domina o povo. Os ladrões e assaltantes são os dirigentes. Jesus mostra que sua mensagem é incompatível com qualquer instituição opressora e que sua missão é conduzir para fora da influência dela os que nele acreditam, a fim de formar uma comunidade que possa ter vida plena e liberdade.

* 10,7-21: O único meio de libertar-se de opressores ou de uma instituição opressora é comprometer-se com Jesus, pois ele é a única alternativa (a porta). Jesus é o modelo de pastor: ele não busca seus próprios interesses; ao contrário, ele dá a sua própria vida a todos aqueles que aceitam sua proposta. Jesus provoca divisão: para uns, suas palavras são loucura; para outros, sua ação é sinal de libertação.

* 10, 22-39: Jesus define sua condição de Messias, apresentando-se como o Filho de Deus. As provas de seu messianismo não são teorias jurídicas, mas fatos concretos: suas ações comprovam que é Deus quem age nele.

* 10, 40-42: O testemunho revela Jesus aos homens, levando-os a compreender que Jesus realiza o projeto de Deus (cf. 1,26-34).

 

 

1   Gn    4, 20|     que foi o antepassado dos pastores nômades.

2   Gn   13,  7|     houve discussões entre os pastores de Abrão e os de . Nesse

3   Gn   13,  8|    nós, nem no meio de nossos pastores, porque somos irmãos.

4   Gn   26, 20|                     20 Mas os pastores de Gerara brigaram com os

5   Gn   26, 20|     de Gerara brigaram com os pastores de Isaac, dizendo: «Essa

6   Gn   29,  3|    todos os rebanhos é que os pastores tiravam a pedra da boca

7   Gn   29,  4|          4 Jacó perguntou aos pastores: «Irmãos, de onde são vocês

8   Gn   46, 32|                        32 São pastores de ovelhas que cuidam de

9   Gn   46, 34|   respondam: ‘Seus servos são pastores desde a juventude até hoje,

10   Gn   46, 34|    egípcios detestam todos os pastores». ~

11   Gn   47,  3| responderam: «Seus servos são pastores de ovelhas, tanto nós quanto

12   Ex    2, 17|        17 Nisso, chegaram uns pastores e tentavam expulsá-las.

13   Ex    2, 19|     Um egípcio nos livrou dos pastores, tirou água e deu de beber

14   Jz    5, 16|        escutando a flauta dos pastores?~Nos clãs de Rúben, os planos

15  1Sm   21,  8|    edomita, e era o chefe dos pastores de Saul.

16  1Sm   25,  7|     do seu rebanho. Pois bem. Pastores seus estiveram entre nós;

17  2Sm    7,  7|   Israel, que estabeleci como pastores do meu povo: ‘Por que você

18  2Rs   10, 12|     No caminho, em Curral dos Pastores,

19  1Cr   17,  6|     Israel, que coloquei como pastores do meu povo: ‘Por que vocês

20   Jo    1, 16|       consumiu suas ovelhas e pastores. Só eu escapei para lhe

21   Ct    1,  8|    pastar~junto às tendas dos pastores. ~O amado:

22   Is   13, 20|     aí as suas tendas, nem os pastores irãodescansar com seus

23   Is   31,  4|    presa, enquanto a turma de pastores apronta contra ele uma gritaria,

24   Is   31,  4|      atenção à barulheira dos pastores, assim também Javé dos exércitos

25   Is   38, 14|    minha morada como tenda de pastores. Como um tecelão, eu tecia

26   Is   56, 11|      com fome insaciável; são pastores, mas não são capazes de

27   Jr    2,  8|       não me reconheceram, os pastores se rebelaram contra mim,

28   Jr    3, 15|       Pois aí eu vou lhes dar pastores de acordo com o meu coração,

29   Jr    6,  3|                3 Para lá irão pastores, levando os seus rebanhos;

30   Jr   10, 21|                         21 Os pastores perderam o bom-senso e deixaram

31   Jr   12, 10|                     10 Muitos pastores devastaram a minha vinha

32   Jr   22, 22|              22 Todos os seus pastores se tornarão pasto do vento;

33   Jr   23,  1|                      1 Ai dos pastores que espalham e extraviam

34   Jr   23,  2|     Deus de Israel, contra os pastores encarregados de cuidar do

35   Jr   23,  4|                4 Vou dar-lhes pastores que cuidem delas, e elas

36   Jr   25, 34|                     34 Gemam, pastores, gritem! Rolem na poeira,

37   Jr   25, 35|    Não escapatória para os pastores, nem saída para os chefes

38   Jr   25, 36|        36 Ouçam os gritos dos pastores, o urro dos chefes do rebanho!

39   Jr   33, 12|     haverá pastagens, onde os pastores farão suas ovelhas repousar.

40   Jr   50,  6|     rebanho perdido, que seus pastores deixavam extraviar-se pelos

41   Jr   51, 23|           23 contigo martelei pastores e rebanhos, contigo martelei

42   Ez   34,  2|   humana, profetize contra os pastores de Israel, dizendo: Assim

43   Ez   34,  2|     diz o Senhor Javé: Ai dos pastores de Israel que são pastores

44   Ez   34,  2|    pastores de Israel que são pastores de si mesmos! Não é do rebanho

45   Ez   34,  2|       Não é do rebanho que os pastores deveriam cuidar?

46   Ez   34,  7|            7 Por isso, vocês, pastores, ouçam a palavra de Javé:

47   Ez   34,  8|    têm pastor, porque os meus pastores não se preocupam com o meu

48   Ez   34,  9|                   9 Por isso, pastores, ouçam a palavra de Javé!

49   Ez   34, 10|      Vou me colocar contra os pastores. Vou pedir contas a eles

50   Ez   34, 10|       rebanho. Desse modo, os pastores não ficarão mais cuidando

51   Am    1,  2|       grito; as pastagens dos pastores murcham, e até o pico do

52   Mq    5,  4|      em luta contra eles sete pastores e oito comandantes.

53   Na    3, 18|      Ah! Rei da Assíria! Seus pastores cochilaram, seus comandantes

54   Sf    2,  6|     transformada em abrigo de pastores e curral de ovelhas.

55   Zc   10,  3|                   3 Contra os pastores se inflama minha ira, e

56   Zc   11,  3|                 3 Escutem! Os pastores gemem, porque o esplendor

57   Zc   11,  8|       em um mês, destruí três pastores. Perdi a paciência com eles,

58   Lc    2,  8|        8 Naquela região havia pastores, que passavam a noite nos

59   Lc    2,  9|   anjo do Senhor apareceu aos pastores; a glória do Senhor os envolveu

60   Lc    2, 10|       10 Mas o anjo disse aos pastores: «Não tenham medo! Eu anuncio

61   Lc    2, 15|       voltando para o céu, os pastores combinaram entre si: «Vamos

62   Lc    2, 18|      E todos os que ouviam os pastores, ficaram maravilhados com

63   Lc    2, 20|                         20 Os pastores voltaram, glorificando e

64   Ef    4, 11|    evangelistas e outros como pastores e mestres.

 

 

1   Gn    4,  2|       de Caim. Abel tornou-se pastor de ovelhas e Caim cultivava

2   Gn   48, 15|        que o Deus que foi meu pastor desde o meu nascimento até

3   Gn   49, 24|       do Poderoso de Jacó, do Pastor e Pedra de Israel,

4   Lv   27, 32|     que passa sob o cajado do pastor, é coisa consagrada a Javé.

5   Nm   27, 17|    não fique como rebanho sem pastor».

6  1Sm   17, 34|   Davi replicou: «Seu servo é pastor das ovelhas de meu pai.

7  2Sm    5,  2|       lhe disse: ‘Você será o pastor do meu povo Israel. Você

8  1Rs   22, 17|   montanhas, como ovelhas sem pastor. E Javé me disse: Eles não

9  1Cr   11,  2|       lhe disse: ‘Você será o pastor do meu povo Israel. Você

10  2Cr   18, 16|   montanhas, como rebanho sem pastor. E Javé me diz: ‘Eles não

11   Jt   11, 19|     manejará como ovelhas sem pastor, e não haverá nem mesmo

12   Sl   23,  1|        De Davi.~ Javé é o meu pastor. Nada me falta. ~

13   Sl   49, 15|       túmulo: a morte é o seu pastor, vão direto para a sepultura; ~

14   Sl   80,  2|                           2*  Pastor de Israel, ouvidos, tu

15  Ecl   12, 11|      e outras provêm do mesmo pastor. ~

16   Ct    2, 16|       é meu e eu sou dele,~do pastor das açucenas!~

17   Ct    6,  3|        e o meu amado é meu,~o pastor das açucenas.~Uma só é a

18   Sb   17, 16|       Podia ser agricultor ou pastor, ou ainda operário que trabalhava

19 Eclo   18, 13|       ensina e dirige, como o pastor conduz o seu rebanho.

20   Is   40, 11|                    11 Como um pastor, ele cuida do rebanho, e

21   Is   44, 28|    digo a Ciro: «Você é o meu pastor, e realizará tudo o que

22   Is   63, 11|    das águas do Nilo o futuro pastor do seu rebanho? Onde está

23   Jr   31, 10|       e vai guardá-lo como um pastor guarda o seu rebanho».

24   Jr   43, 12|    Ele vai limpar tudo como o pastor tira os piolhos do seu manto,

25   Jr   49, 19poderá me desafiar? Qual é o pastor que pode resistir a mim?

26   Jr   50, 44poderá me desafiar? Qual é o pastor que pode resistir a mim?

27   Ez   34,  5|                5 Por falta de pastor, minhas ovelhas se espalharam

28   Ez   34,  8|       selvagens. Elas não têm pastor, porque os meus pastores

29   Ez   34, 12|                     12 Como o pastor conta o seu rebanho, quando

30   Ez   34, 13|   próprio cuidarei delas como pastor, nos montes de Israel, nos

31   Ez   34, 23|      23 «Providenciarei um só pastor para cuidar das minhas ovelhas.

32   Ez   34, 23|   cuidará delas, e será o seu pastor.

33   Ez   37, 24|    sobre eles, e haverá um só pastor para todos. Eles viverão

34   Am    1,  1|        1 Palavras de Amós, um pastor de Técua, que teve visões

35   Am    3, 12|     12 Assim diz Javé: Como o pastor salva da boca do leão duas

36   Mq    7, 14|            14 Com tua vara de pastor guia o teu povo, o rebanho

37   Zc   10,  2|     perdido, como ovelhas sem pastor.~O novo êxodo -*

38   Zc   11,  5|     eu fiquei rico». E nenhum pastor fica com pena das ovelhas.

39   Zc   11,  7|                7 Eu me tornei pastor de um rebanho que vai para

40   Zc   11,  7|      Laços. E continuei sendo pastor do rebanho.

41   Zc   11,  9|     eu disse: «Não serei mais pastor de vocês. Quem estiver para

42   Zc   11, 15|     Pegue os apetrechos de um pastor insensato,

43   Zc   11, 16farei aparecer neste país um pastor que não se preocupa com

44   Zc   11, 17|                      17 Ai do pastor de coisa nenhuma, que abandona

45   Zc   13,  7| Espada, desperte contra o meu pastor e contra o homem da minha

46   Zc   13,  7|    Javé dos exércitos. Fira o pastor, para que as ovelhas se

47   Mt    9, 36|      como ovelhas que não têm pastor.

48   Mt   25, 32|      dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.

49   Mt   26, 31|     Escritura diz: ‘Ferirei o pastor, e as ovelhas do rebanho

50   Mc    6, 34|      estavam como ovelhas sem pastor. Então começou a ensinar

51   Mc   14, 27|     Escritura diz: ‘Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão’.

52  Joa   10,  2|     que entra pela porta, é o pastor das ovelhas.

53  Joa   10, 11|               11 Eu sou o bom pastor. O bom pastor a vida

54  Joa   10, 11|       sou o bom pastor. O bom pastor a vida por suas ovelhas.

55  Joa   10, 12|       O mercenário, que não é pastor a quem pertencem, e as ovelhas

56  Joa   10, 14|               14 Eu sou o bom pastor: conheço minhas ovelhas,

57  Joa   10, 16haverá um só rebanho e um só pastor.

58   Hb   13, 20|   Jesus nosso Senhor, que é o pastor supremo das ovelhas por

59  1Pd    2, 25|       agora retornaram ao seu Pastor e Guardião.~

60  1Pd    5,  4|     quando aparecer o supremo Pastor, vocês receberão a coroa

61   Ap    7, 17|       no meio do trono será o pastor deles; vai conduzi-los até

Leave a Reply